De que está à procura ?

Desporto

Defesa português acusado de racismo no Brasil

© DR

Rafael Ramos, lateral do Corinthians há pouco mais de um mês, foi acusado de racismo no jogo contra o Internacional. O português foi detido pela polícia brasileira ainda no estádio.

O jogador português viu-se obrigado a pagar uma fiança de dez mil reais, equivalente a 1900 euros, para ser libertado. Rafael Ramos alega ter sido um mal-entendido, depois de ter sido alegadamente acusado de usar a palavra “macaco” a falar de um jogador da equipa adversária.

A confusão ocorreu quando a partida estava a 15 minutos de terminar e o resultado final (2-2) já não se ia alterar. Enquanto que Edenílson acusa Ramos de ter dito “macaco”, A Bola avança que o português defendeu que exclamou apenas “foda-se, caralho”, defesa que manteve mesmo depois de ser detido, alegando o mal-entendido.

Fica aqui o momento guardado do sucedido desentendimento entre Rafael Ramos e Edenílson.

A Bola adianta também que Rafael foi falar com o adversário depois do fim da partida, numa conversa tranquila. Enquanto que ambos reconhecem os seus pontos de vista, “Ele mostrou um receio de passar por mentiroso, eu disse-lhe que ele não é um mentiroso, apenas entendeu as palavras erradas. Apertámos a mão e desejei-lhe boa sorte”, refere o lateral português. Entretanto, o jogador português veio a público colocar a sua versão através das redes sociais.

Mesmo o árbitro da partida, Bráulio Machado, também prestou depoimento e falou no incidente no seu relatório. Referiu que se reuniu com os dois jogadores durante a interrupção do jogo, onde Edenílson alegou que Rafael disse “macaco” em vez de “caralho”, como o português admite ter dito. O árbitro decidiu dar continuidade à partida já que, “devido à distancia dos atletas e barulho da torcida nem eu, nem outro integrante da equipa de arbitragem consegue ouvir ou perceber qualquer das palavras acima citadas”.

TÓPICOS