De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

Como liderar em tempos realmente desafiantes

Hoje partilhamos algumas reflexões e inspirações decorrentes do webinar “The Insightful Leader”, do Prof. Harry Kraemer.

Como estamos a gerir nestes novos tempos? Não estaremos muitos a confundir atividade com produtividade? Não estaremos perante reações algo frenéticas perante um contexto incerto, que nos impedem de estar na melhor disposição (“mood”) para pensar em objetivos mais vastos? 

Não devemos arranjar algum tempo para ficar longe do ruído (a todos os níveis) e dos gadgets? Quem não for autorreflexivo vai estar sempre a ser surpreendido… 

Como nos prepararmos para o que temos de fazer em tempos realmente exigentes e desafiantes?

As constantes preocupações, e por vezes o medo, ansiedade, stress e excesso de pressão desgastam a nossa energia!

Se for sempre fazer o correto (“Do the Right Thing”), e simultaneamente sempre fazer o melhor que pode fazer (“The best I can do”), aí atenua em muito ou faz desaparecer os gatilhos de desgaste.

Sem ser autorreflexivo não me posso conhecer, sem me conhecer não me consigo gerir da melhor forma nem tomar as melhores decisões, e sem me gerir da melhor forma não consigo na realidade gerir Equipas.

A autorreflexão, a autoconsciência  são características essenciais dos verdadeiros líderes nestes tempos de grande exigência.

A habilidade de me gerir e de me organizar é algo que precede o gerir equipas. Como líder tenho de gerir e conduzir e apoiar e dinamizar a equipa através dos desafios. Tenho de ser um exemplo. Ser Autorreflexivo e não um “lunático” …voltamos assim ao princípio – não devemos confundir atividade com produtividade….

E o que significa este hábito, diríamos essencial, da autorreflexão? Muitos Executivos dizem que “não têm o tempo para”… ou então, podemos também antecipar, a autorreflexão é algo desconfortável, algo que evitam. Mas, atenção a este número: 168. 168 é um importante número. É a multiplicação de 24 por 7. É o número de horas de uma semana. 

Um executivo, um gestor, gere recursos e toma decisões. Prioritizar. Definir Prioridades. Como pode ser importante o conseguir o tempo para se autogerir e ser um influenciador dos elementos da sua equipa. Apenas 15 minutos por dia podem ajudar a preparação e construção de uma equipa mais forte e de um negócio mais robusto.

Primeiro passo a dar – passar mais tempo consigo próprio. “Autorreflexão não é despender horas olhando o vazio”. Nem é um exercício intelectual. Um hábito. Quais são os meus valores? Os meus Propósitos? Estou-me a enganar? Obter feedback das pessoas, interagir. As pessoas não se preocupam com aquilo que você sabe até saberem o quanto você se importa. “Find people whose values you appreciate, whom you admire, who can give you an honest appraisal of whether you’re on track or not. It’s about self-improvement, being self-aware, knowing yourself, and getting better”.

Permite-nos compreender o que é importante e focar naquilo que tem de ser feito de forma diferente, naquilo que tem de mudar, naquilo em que devemos investir a nossa energia. 

O que diz um Coach? Tome cuidado consigo. Faça uma pausa, descanse. Pausar, colocar as coisas em perspetiva, fazer o diagnóstico do que começa a ser realmente importante nesta jornada da liderança. Para um maratonista é essencial o equilíbrio holístico: Físico / Mental / Emocional / Espiritual. 

Um Líder tem o privilégio de conduzir no momento uma equipa ou uma organização.

Não há muitas vezes medo dos CEO ou de os Executivos de demonstrarem que há coisas que não sabem? Na comunicação com as equipas há 3 passos em crise: dizer às pessoas o que sabemos (sem qualquer mentira); dizer o que não sabemos (mostrar vulnerabilidade e não um grande ego); comunicar o processo como vamos avançar e também desbravar o que (ainda) não sabemos, todas as semanas, ir atualizando o feedback e o conhecimento (“vamos continuar a estudar, fazer mais projetos, mais pilotos”).

E para terminar, umas últimas 3 palavras: Liderança; Influência e Relação.

Liderar não tem a ver com títulos, todos já o sabemos, ou deveríamos saber.

Tem a ver com Influência, como influenciar as pessoas e obter o seu melhor e a sua vontade de se desenvolver?

Tem a ver com Relacionar – ouvir realmente as Pessoas e demonstrar que  se preocupa e percebe as diversas perspetivas. Tenha uma perspetiva balanceada. Como dizia São Francisco “fazei que eu procure mais compreender, que ser compreendido (…) Pois é dando, que se recebe”.

Quão bons somos na nossa “hability to relate”? Quantos sabemos por exemplo o nome da rececionista? Quantos filhos têm os nossos colaboradores? Os seus principais desportos ou interesses?

Every single person matters

O relacionar-se leva a aumentar a influência, o que o leva a melhorar a sua liderança. Se cada um souber que se preocupa com cada um, eles preocupar-se-ão com você e apoiarão. Quando as coisas não correm bem temos de comunicar 2 a 3 vezes mais.

The requirements to be a leader have always remained pretty constant. It’s leading yourself, leading others, communicating like crazy, listening carefully, demonstrating you care,” diz Kraemer.

Ainda convencido de que não consegue ter tempo para os exercícios de autorreflexão nas suas 168 horas semanais? Muitas das vezes é uma desculpa para evitar um exercício desconfortável…

O seu único risco é o de nada fazer. Faça a diferença connosco. 

Francisco Gomes Viana

TOWS & TOOLS – Business Consulting

www.towstools.com

Address: Campo Pequeno, 2 – 7ºC1000-078 Lisbon, Portugal

Mobile/ WhatsApp: (+351) 963 313 935

Email: [email protected]

Estamos em Portugal Continental, Açores, Madeira e Espanha.

TUDO COMEÇA COM UMA CONVERSA – Estamos aqui para vos ajudar a mudar para melhor. Para fazer acontecer. Contacte-nos.

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.