De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Lifestyle

Coimbra analisa a sua oferta cultural

O grupo de trabalho que está a preparar a candidatura de Coimbra a Capital Europeia da Cultura em 2027 (CCEC2027) está a articular com investigadores do Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra (UC) a elaboração de um inquérito/estudo de satisfação sobre a cultura em Coimbra e na região, suas representações e suas valências, disse hoje o coordenador do grupo, Luís de Matos ao Notícias de Coimbra.

A investigação, que “partirá de inquéritos lançados à população da cidade e da região”, procurará “analisar discursos, imagens e práticas culturais”, acrescentou o responsável, que falava hoje, em Coimbra, durante a segunda reunião pública que, trimestralmente, a comissão promove para dar conta das ações que o grupo de trabalho realizou nos últimos meses e daquelas que prepara para os próximos tempos.

O estudo, cujos primeiros resultados deverão ser conhecidos em abril, constitui “um documento essencial de avaliação não apenas do comportamento do público que frequenta os eventos e espetáculos – e dos cidadãos em geral – do bem-estar cultural da cidade, mas também do conhecimento que Coimbra possui de si própria e da sua atitude cidadã perante o fenómeno cultural”, sustentou.

“A análise dos dados recolhidos ser-nos-á de grande utilidade para a prossecução” da tarefa do grupo de trabalho, bem como para “a definição das grandes linhas de planeamento cultural da cidade”, sublinhou Luís de Matos.

A realização, em 16 de março, de um fórum internacional de discussão, aberto a todos o interessados, particularmente aos habitantes da cidade e região, com a participação de Boaventura de Sousa Santos, Pedro Machado, Ana Abrunhosa, José António Bandeirinha, Elias Torres Feijó, Ludovic Thilly, Isabel Pires de Lima, Artur Santos Silva, Edson Athayde e António Feijó, é outras das iniciativas programadas, igualmente no âmbito da preparação da candidatura de CCEC2027.

“O fórum, denominado ‘For 1 C’, facultará um olhar de fora, a outra face de uma consulta e de um debate alargado sem a qual a indagação do que somos e do que temos, do que sonhamos e do que queremos fazer não estará completa”, sublinhou Luís de Matos, defendendo que se impõe “consultar o país, porque Coimbra (e a sua candidatura) é País, ouvir a Europa, porque Coimbra é Europa”.