De que está à procura ?

Colunistas

Cid Adão Urbano

Pessoa amiga pôs-me a coisa assim:
9 horas, chego à Loja do Cidadão.
Tiro a senha.
11 horas: “Ah desculpe. Não a chamaram porque a funcionária esqueceu-se de vir para o atendimento.”

A abordagem, a minha abordagem, sobretudo, porque é assunto recorrente, é esta. Mas poderiam ser imensas:

Tudo isto, e nos diversos serviços ao público, era assim. Era assim antes do Covid – 19, é assim e vai piorar.

É que hoje o Covid-19 é desculpa para tudo. As esferas mais altas, elas mesmas, ditaram essa prioridade – que esquecessem tudo o resto, e o pessoal aproveitou. Ou aproveitou-se.

O “pessoal” chamado à pandemia – nomeadamente o pessoal que entrou de novo aos serviços para responder ao fenómeno, sobretudo na área de saúde, que não conheceu outro ritmo, outras condições de trabalho, está a criar hábitos sem canseira, sem responsabilidade, está a tornar que os diversos serviços piorem porque se estava mal, tudo o que ficou protelado piora e este pessoal de novo está a colher só este ritmo com as manhas que cada serviço ou até individualmente cada pessoa tinham.

A quase todas e variadas queixas soe dizer-se: Funcionar mal é eufemismo! A cantiguinha do Covid – 19 já está polida e gasta. Covid – 19 não justifica tudo. Antes assim era…

Por isso senhor Governo: Desconfinem. Desconfinem mas desconfinem tudo.

Mário Adão Magalhães

(Não pratico deliberadamente o chamado Acordo Ortográfico).

 

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

TÓPICOS