De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Portugal

Bares de São Miguel fecham a porta às 22 horas

O Governo dos Açores vai encerrar, a partir de quinta-feira, e até 01 de setembro, as discotecas em São Miguel, sendo que os bares na ilha terão as 22h00 como hora limite de atividade, devido à pandemia de covid-19.

O Conselho de Governo esteve esta semana reunido, via videoconferência, e segundo consta na nota enviada à imprensa após a reunião, os atuais 27 casos positivos de covid-19 em São Miguel mereceram um reforço de medidas de contenção.

“A situação que inspira maiores cuidados e suscita a necessidade de maior atenção é a relativa à prova da existência de, pelo menos, uma cadeia de transmissão local do vírus SARS-CoV-2, com incidência nos concelhos de Ponta Delgada e Vila Franca do Campo”, adianta a nota.

E prossegue o texto: “Da análise realizada pela Autoridade de Saúde Regional constata-se que o universo de indivíduos relacionados com essa cadeia de transmissão local – casos positivos e contactos próximos – tem idades na casa dos 20/30 anos e que os locais de contaminação principais são os espaços recreativos noturnos”.

Por outro lado, é ainda referido, “são crescentes as evidências de incumprimento das recomendações de saúde pública emitidas a propósito da pandemia de covid-19, nomeadamente, a existência de aglomerações e ausência de uso de máscara”.

Além do encerramento total “de estabelecimentos de bebidas e similares com espaços de dança” e do “encerramento, a partir das 22h00 [locais, mais uma hora em Lisboa], dos bares e outros estabelecimentos de bebidas, com ou sem espetáculo, com ou sem serviço de esplanada”, foi definido que, também a partir das 22h00, “os postos de abastecimento de combustíveis podem manter o respetivo funcionamento”, mas “exclusivamente para efeitos de venda ao público de combustíveis e abastecimento de veículos”.

O Conselho do Governo dos Açores deliberou ainda prorrogar, até às 24 horas de 01 de setembro, a situação de calamidade pública nas ilhas de Santa Maria, São Miguel, Terceira, Pico e Faial, bem como a situação de alerta nas ilhas Graciosa, São Jorge, Flores e Corvo.

O acompanhamento permanente à evolução da situação epidemiológica “poderá implicar a adoção de novas medidas” de combate à pandemia, acrescenta a nota.