De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Lifestyle

Arquiteto português vence prémio internacional com capela nos Alpes suíços

O projeto da Capela Cohen, nos Alpes suíços, da autoria do atelier português Joaquim Portela, foi distinguido com o terceiro lugar da 7.ª edição do Prémio Internacional de Arquitetura Sagrada, anunciou esta quarta-feira a Fundação Frate Sole.

De acordo com o site da organização, com sede em Itália, os prémios foram atribuídos pelo comité científico da fundação, selecionados entre 10 projetos de igrejas e capelas finalistas, escolhidos, por seu turno, entre 114 de 33 países de todo o mundo que concorreram a esta edição.

O primeiro prémio foi atribuído ao projeto da Igreja Seliger Pater Rupert Mayer, em Poing, na Alemanha, projetada pelo atelier Meck Architekten, dos arquitetos alemães Andreas Meck e Axel Frühauf.

Em segundo lugar ficou o projeto do Santuário Señor de Tula, Jojutla de Juárez, em Morelos, no México, da autoria dos arquitetos Derek Dellekamp, Jachen Schleich e Camilo Restrepo.

O júri foi composto pelos vencedores das edições anteriores do Prémio Internacional de Arquitectura Sagrada, incluindo Tadao Ando e Cristian Undurraga, em conjunto com o presidente da Fundação Frate Sole, Luigi Leoni.

A capela desenhada pelo atelier Joaquim Portela Arquitetos é descrita como um edifício “simples e compacto”, na sua forma, “integrado na paisagem e tornado parte dela”.

“Tentámos apagar tudo o que era supérfluo, e que por vezes pode parecer grotesco. Não significa que as igrejas barrocas não sejam visualmente agradáveis, mas, na nossa busca, procurámos atingir uma forma pura para o edifício que pudesse transmitir toda a informação necessária para um lugar sagrado”, indicam os autores.

A Fundação Frate Sole foi criada pelo padre Constantino Ruggere com o objetivo de promover a sensibilização das qualidades artísticas na construção dos espaços sagrados, de forma a exaltar a sua espiritualidade.

A classificação dos vencedores foi acolhida pelo comité científico da Fundação Frate Sole e aprovada pelo conselho de administração da fundação, que atribuiu ao primeiro prémio 15.000 euros, ao segundo prémio 10.000 euros, e ao terceiro prémio 5.000 euros.

Os sete restantes projetos finalistas foram reconhecidos como “Embaixadores do Prémio Internacional de Arquitectura Sagrada” para o quadriénio 2020-2024.

Os projetos apresentados nesta edição do galardão para a arquitetura sacra podem ser consultados neste site.