De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Europa

Alto Minho pede ligação de alta velocidade a Espanha

O diretor do AECT Rio Minho afirmou que o “atraso” na ligação da ferrovia da alta velocidade de Portugal à rede espanhola “é tempo sem retorno” e apontou o troço Porto/Vigo como o “mais importante”.

“Portugal tem de entender o vosso trabalho aqui na ferrovia e na alta velocidade como uma última oportunidade. Não pode ser uma espécie de jangada de pedra. Todo o tempo que venha a perder-se na ligação da ferrovia portuguesa em alta velocidade à rede espanhola é um tempo sem retorno. Este é um tempo decisivo”, afirmou Rui Teixeira, citado numa nota enviada à imprensa referente à sua intervenção num encontro em Ourense, Galiza.

O responsável do Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Rio Minho apontou a ligação internacional entre as cidades do Porto e Vigo como a “mais importante entre Portugal e Espanha, em termos de volume de tráfego, superando mesmo a ligação Lisboa-Madrid”,

O socialista Rui Teixeira, que é também presidente da Câmara de Vila Nova de Cerveira, no distrito de Viana do Castelo, disse ser “incompreensível que algumas etapas de ferrovia ainda estejam pendentes em 2022”.

“As ligações entre Portugal e Espanha, mais concretamente entre Portugal e a Galiza, são vitais e nunca suficientes. A alta velocidade é importantíssima para atrair turismo, garantir competitividade da economia e melhorar decisivamente a qualidade de vida e a mobilidade dos cidadãos”, assegurou durante o fórum “Ave[comboio de alta velocidade] Madrid – Ourense: Um caminho para a Galiza: desafios e oportunidades’, hoje realizado na Expourense.

Rui Teixeira, o “único” orador português convidado a abordar a “incontestável” importância da ligação ferroviária entre Portugal e Espanha, e “partilhar” a experiência do território transfronteiriço Norte de Portugal-Galiza, destacou que tem sido “adiada sucessivamente a necessidade de regionalizar o país, o que desembocou numa macrocefalia asfixiante”.

“Esta macrocefalia culmina na ausência de investimentos fora da capital, por exemplo, no quase eterno adiamento das linhas de alta velocidade”, afirmou citado na nota enviada pela Câmara de Vila Nova de Cerveira.

O fórum, que contou com a presença de várias entidades governamentais espanholas, assinalou o arranque da alta velocidade espanhola, entre Madrid e Ourense.

O primeiro AVE entre Madrid e a comunidade autónoma da Galiza, Espanha, deu entrada na estação de A Gudiña, em Ourense, no dia 21 de dezembro último.

A viagem inaugural contou com a presença do rei de Espanha, Filipe VI, e do Presidente do Governo espanhol, Pedro Sanchéz, e demorou 02:15.

Durante a sua intervenção, na presença do presidente da Junta de Galiza, Alberto Núnez Feijóo, o ex-ministro do Fomento, José Blanco López, e a vice-presidente do Congresso dos Deputados e ex-ministra do Fomento, Ana Pastor Julián, o diretor do AECT Rio Minho, elogiou “o trabalho de grande desenvolvimento e virado para o futuro” que a Galiza tem realizado, com “uma forte aposta nas grandes vias de comunicação”.

“É por isso que estradas, portos e ferrovias foram prioridades desta grande região. Estar a celebrar a viagem entre Ourense e Madrid, com conforto e segurança, em pouco mais de duas horas é celebrar o presente e garantir o futuro comum”, afirmou Rui Teixeira.

O autarca socialista, que participou no painel “Um caminho por completar: as etapas pendentes”, Rui Teixeira destacou os dois últimos anos de “liderança, trabalho persistente e entusiasta” de Pedro Nuno Santos no Ministério das Infraestruturas.

“A modernização da ferrovia e a necessidade de investir em linhas de alta velocidade foi recolocada nas prioridades do discurso político. Há um plano concreto de investimento, que está aprovado e que consiste na ligação ferroviária de alta velocidade entre o Norte de Portugal e a Galiza, planeada no Programa Nacional de Investimento 2030, com a construção da primeira fase da linha de alta velocidade entre o Porto e Vigo (…) passando-se de uma viagem de 02:20 atuais para cerca de uma hora”, sublinhou Rui Teixeira.

Com sede em Valença, no distrito de Viana do Castelo, o AECT Rio Minho foi constituído em 2018 e abrange 26 concelhos: os 10 municípios do distrito de Viana do Castelo que compõe a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho e 16 concelhos galegos da província de Pontevedra, com ligação ao rio Minho.