De que está à procura ?

alemanha
Lisboa
Porto
Berlim, Alemanha
Mundo

Uma faculdade portuguesa na China?

O reitor da Universidade de Lisboa afirmou que espera “assinar em maio” um acordo para a criação de uma faculdade na Universidade de Xangai, prevendo o início das suas atividades no ano letivo de 2020/2021.

“Espero assinar em maio um acordo de criação de uma faculdade da Universidade de Lisboa na Universidade de Xangai”, disse António Cruz Serra na sua participação na conferência organizada pela agência Lusa “O Futuro de Macau na Nova China”, que decorre no Centro Científico e Cultural de Macau, em Lisboa.

António Cruz Serra referiu que a nova faculdade da Universidade de Lisboa naquela cidade chinesa será uma plataforma de formação, entre outras áreas, de engenharia eletrotécnica e engenharia civil.

“São iniciativas que honram muito a Universidade de Lisboa, o caminho é muito complicado – já estamos a trabalhar nisto há muito tempo”, afirmou.

António Cruz Serra disse que, embora haja semelhanças entre as burocracias portuguesa e chinesa, há alguma dificuldade em “compatibilizar” países com “duas culturas tão fortes nesse sentido”.

“Espero que nós tenhamos esta iniciativa em funcionamento no ano letivo de 20/21”, referiu.

O reitor explicou que as propostas terão de ser apresentadas na China “até setembro deste ano” e que as “negociações e as conversas dos professores das diversas áreas consoante os cursos estão muito avançadas”.

“Daqui a dois ou três anos, teremos, pelo menos, 500 alunos a virem fazer pelo menos um ano à Universidade de Lisboa e seremos responsáveis, pelo menos, por mais de 30% da lecionação em Xangai. Seremos também responsáveis pela gestão académica, mas também pela gestão administrativa desta faculdade. Vai ser um grande desafio”, disse.

António Cruz Serra afirmou que a universidade nos dias de hoje tem de cosmopolita, com “gente de todo o mundo”.

“Acredito muito nisso”, sublinhou.

O reitor esclareceu também que o ensino na faculdade da Universidade de Lisboa em Xangai será realizado em inglês, mas terá uma segunda língua, nomeadamente portuguesa, que permitirá que os estudantes tenham “obrigatoriamente, disciplinas de português”.

No seu discurso, António Cruz Serra disse também que a Universidade de Lisboa foi convidada para criar, em conjunto com uma universidade chinesa, uma universidade em Zhuhai, cidade próxima de Macau.

António Cruz Serra sublinhou que Macau constitui “sempre uma plataforma importante”, uma vez que é uma plataforma para que os “parceiros chineses possam saber mais” sobre Portugal.

Nesse sentido, o reitor da Universidade de Lisboa referiu que há uma “excelente colaboração” com a Universidade de Macau e com o Instituto Politécnico de Macau.

“Temos estado muito alinhados com o que têm sido as decisões para o ensino de português e de outras iniciativas que têm sido desenvolvidas”, acrescentou.