De que está à procura ?

alemanha
Lisboa
Porto
Berlim, Alemanha
Europa

Trabalho da Escola Agrária de Coimbra premiado pelo Governo francês

A Escola Superior Agrária de Coimbra (ESAC) participou no Diversifood, um projeto europeu premiado pelo Governo de França, que teve como objetivo aumentar a diversidade das espécies, foi anunciado.

“A ideia foi trazer a biodiversidade para o campo dos agricultores, porque em termos de sementes a diversidade genética tem vindo a decrescer”, disse à agência Lusa o professor Pedro Mendes Moreira, responsável pelo projeto na ESAC.

Desenvolvido no âmbito do Programa Horizon 2020, o Diversifood visou enriquecer a biodiversidade cultivada, testando, renovando e promovendo culturas, espécies e variedades subutilizadas ou negligenciadas.

Segundo Pedro Mendes Moreira, tratou-se de um projeto dedicado à agricultura biológica e familiar, que pretendeu “aumentar a diversidade das espécies e fazer a ligação entre os locais e os circuitos de comercialização”.

Por outro lado, acrescentou o académico, um dos maiores objetivos passou por “colocar todos os elementos da cadeia de valor em diálogo, desde o agricultor até ao consumidor”.

“Este foi um dos primeiros projetos do programa Horizonte 2020 a ser aprovado pela Comissão Europeia, porque é multi-ator e transdisciplinar, que não fica nos bancos das universidades, mas parte para o terreno e interage com os agricultores, os consumidores e os agentes da cadeia de valor”, sublinhou.

De acordo com Pedro Mendes Moreira, o Diversifood foca-se “na questão das cadeias curtas, de proximidade” e na exploração de variedades que “foram há muito abandonadas ou tinham sido esquecidas”.

O projeto, que envolveu mais de 20 entidades de vários países europeus, foi distinguido na terça-feira pelo ministro francês do Ensino Superior, da Investigação e da Inovação, Frédérique Vidal, através da entrega do prémio “Etoiles de l’Europe”.

“No seio de uma sociedade que se move contra a natureza e não a seu favor, o Diversifood representa uma mudança de paradigma e também uma indicação de que existem alternativas ao sistema agrícola vigente”, salientou o professor Pedro Mendes Moreira.

Para o responsável pelo projeto na ESAC, o reconhecimento ao mais alto nível pelo governo francês “revela não só o valor do conhecimento científico produzido, mas também a tradução em benefícios para a sociedade, o ambiente e toda a cadeia de valor”.

#portugalpositivo