De que está à procura ?

alemanha
Lisboa
Porto
Berlim, Alemanha
Desporto

Sporting regressa ao terceiro lugar da Liga

O Sporting voltou ao terceiro lugar na I Liga de futebol, após ‘virar’ o resultado diante do Belenenses SAD, por 3-1, com todos os golos a serem apontados na primeira parte. Licá, que hoje foi ‘capitão’, inaugurou o marcador para o Belenenses SAD, aos nove minutos, mas o Sporting reagiu e apontou três golos até ao intervalo, por Coates, aos 21, e com um ‘bis’ de Jovane Cabral, aos 36 e aos 45+2, este de grande penalidade.

A vitória na Cidade do Futebol permitiu ao Sporting confirmar o bom momento e regressar ao terceiro posto, que tinha sido perdido à condição na véspera para o Sporting de Braga, somando agora 52 pontos. Já o Belenenses SAD mantém o 14.º lugar, com 30 pontos, a seis dos lugares de despromoção.

Face à ausência forçada de Mathieu, que se lesionou gravemente e terminou a carreira (os jogadores dos ‘leões’ homenagearam o francês com o seu nome inscrito nas camisolas), Rúben Amorim optou por Borja no centro da defesa e ‘mexeu’ na ala direita, com Ristovski no lugar de Rafael Camacho.

No lado do Belenenses SAD, o ‘capitão’ Gonçalo Silva e o experiente Silvestre Varela foram ausências importantes e Petit adaptou o habitual lateral-esquerdo Rúben Lima ao centro da defesa.

Após um primeiro aviso de Show, em zona frontal, foi Licá a abrir a contagem, aos nove minutos, para o Belenenses SAD. Nilton Varela recuperou a bola ainda no último terço e entregou rápido ao avançado português, que beneficiou da posição de Eduardo Quaresma para surgir em posição legal e completamente solto.

O Sporting sentia muitas dificuldades em impor as suas ideias, perante um Belenenses SAD agressivo e que ia criando perigo pelas laterais, mas repôs a igualdade aos 21, por Coates, que aproveitou uma má saída de Koffi da baliza num canto, para, nas alturas, atirar tranquilamente para a baliza.

A equipa de Petit não foi abaixo com o empate e teve em Cassierra um avançado esclarecido na frente, visando em várias ocasiões a baliza de Luís Maximiano, com destaque para os remates aos 32, por cima, e aos 35, para defesa segura do guarda-redes ‘leonino’.

Contudo, o talento de Jovane Cabral acabou por operar a reviravolta dos ‘leões’, aos 36, com um pontapé acrobático, que respondeu de forma perfeita a um cruzamento bem medido de Ristovski.

A ponta final do primeiro tempo foi muito intensa, primeiro com um golo invalidado a Licá, aos 42, por fora de jogo, que seria o empate, e, depois, numa grande penalidade para o Sporting, a castigar uma falta de Nuno Coelho sobre Sporar.

Koffi defendeu o penálti de Jovane Cabral, mas o árbitro Hélder Malheiro mandou repetir a conversão, entendendo que o burquinense se adiantou na linha de golo. Na segunda tentativa, um remate indefensável do cabo-verdiano dilatou a vantagem ‘leonina’, sob protestos veementes do Belenenses SAD, inclusive do presidente Rui Pedro Soares, na bancada.

O Belenenses SAD ameaçou não regressar para o segundo tempo, mas tal acabou por não suceder. Francisco Geraldes entrou ao intervalo para o lugar de Jovane Cabral e teve um duelo interessante com Koffi, que susteve os remates do médio em três ocasiões, aos 53, 74 e 77 minutos.

A equipa de Petit tentava reduzir a desvantagem, mas o melhor que conseguiu na segunda parte foi um cabeceamento de Cassierra, aos 58, que falhou por pouco o alvo, e um remate do recém-entrado Dieguinho, aos 70, para uma defesa a dois tempos de Luís Maximiano.

As melhores oportunidades do segundo período surgiram no minuto 63, para os ‘leões’, através de um remate potente de Sporar a ameaçar a baliza de Koffi. Na sequência do canto, Coates esteve perto de ‘bisar’, novamente de cabeça, mas, mais uma vez, Koffi foi a salvação dos ‘azuis’, com mais uma grande intervenção.

Os últimos 15 minutos da partida tiveram pouca história, com muitas faltas, e o jogo ‘arrastou-se’ até final com o mesmo resultado verificado ao intervalo.