De que está à procura ?

alemanha
Lisboa
Porto
Berlim, Alemanha
Desporto

Portugal vence Bielorrússia com mais um golo de Dany Mota

A seleção portuguesa de futebol de sub-21 venceu a congénere da Bielorrússia por 2-0, na segunda jornada da qualificação para o Euro2021 da categoria, num jogo fechado em que Rafael Leão e Dany Mota fizeram a diferença.

Depois de um jogo em que os bielorrussos se preocuparam mais com fechar os caminhos da baliza do que em ameaçar o golo, a equipa portuguesa acabou por somar um triunfo difícil, graças a golos de Leão, aos 68 minutos, e Mota, no quarto minuto dos descontos.

Dany Mota, que chegou aos três golos na fase de qualificação, depois de ter marcado dois na vitória por 4-0 frente a Gibraltar, na abertura do Grupo 7, acabou por dar alguma expressão a um resultado que parecia curto para o domínio português, que ainda assim não redundou em muitas oportunidades.

Em forma esteve o guarda-redes da Bielorrússia, Pavlyuchenko, que negou por várias vezes o caminho da baliza, mas não impediu novo triunfo da equipa das ‘quinas’, que se isolou na frente da ‘poule’ 7, com seis pontos, contra três dos bielorrussos, que disputaram dois jogos, e os mesmos pontos de Holanda e Noruega, ambas com um jogo, e Chipre, já com três.

Em Zhodino, Portugal entrou como era esperado, por cima no jogo, com mais posse de bola, mas com dificuldades em chegar à baliza contrária, e o primeiro momento de real perigo surgiu numa jogada de insistência de Domingos Quina, que, aos 13 minutos, rematou ao poste, depois de fintar um defesa à entrada da área.

Perto do intervalo, Pavlyushenko negou um cabeceamento de Diogo Leite, já depois de Jota ter ficado perto de marcar, na cobrança de um livre direto, uma das ‘armas’ tentadas para quebrar a organização defensiva da equipa da casa.

No segundo tempo, Rui Jorge fez entrar Rúben Vinagre para o lugar de Nuno Tavares, uma das novidades no ‘onze’ em relação ao jogo com Gibraltar, e o regresso dos balneários trouxe um jogo mais acutilante de parte a parte, com os bielorrussos a ameaçarem.

Ainda assim, rapidamente o ‘modelo’ dos primeiros 45 minutos voltou a surgir, com interceções dos defesas, concentrados na grande área, ou defesas do guarda-redes a adiarem o progressivo avanço das linhas portuguesas.

Rafael Leão quebrou o ‘nulo’ aos 68 minutos, depois de iniciar uma jogada e aproveitar, mais tarde, um erro da defensiva adversária para se isolar na frente de Pavlyuchenko, a quem não deu hipóteses, fazendo o primeiro.

Até final, Portugal tentou várias vezes fazer o segundo golo, com vários remates de Miguel Luís e Jota, e com Trincão, entrado aos 60 minutos, em bom plano.

Nos descontos, uma jogada entre dois suplentes acabou por fechar as contas do encontro, com Romário Baró a encontrar Dany Mota para o seu terceiro golo na fase de qualificação.