De que está à procura ?

alemanha
Lisboa
Porto
Berlim, Alemanha
Publireportagens

Pedidos de empréstimo pessoal: características, taxas de juro, documentos e tipos de adesão

Uma remodelação da casa, uma troca de carro, um pagamento urgente ou um impulso financeiro para se começar um pequeno negócio são, agentes catalisadores de um pedido de empréstimo pessoal, mas não basta querer, também é necessário perceber tudo o que rodeia um crédito pessoal, como é caso das taxas que este traz acopladas e que resultam num maior ou menor valor de mensalidade a pagar, da documentação que deve apresentar e da forma de adesão que, em tempos de crescimento do online, se tornou, em muitos casos, 100% digital.

Comecemos pelas características de um empréstimo pessoal.

Características do Crédito Pessoal

Este tipo de crédito tem um limite mínimo de 200 euros e um teto máximo de 75 mil euros para prazos de reembolso que variam entre 24 e 84 meses. Quando pede um crédito pessoal e define quanto vai pedir e qual o prazo de reembolso, estas dimensões ficam definidas para todo o contrato, algo que ajuda a um mais rigoroso planeamento do seu orçamento familiar.

Depois de feito o pedido junto de uma instituição financeira/banco, preenchidos os formulários e enviados os documentos, o banco irá proceder à análise do seu pedido que, em caso positivo, pode ser validado no espaço de poucos dias úteis se o pedido for feito online.

Tomemos, por exemplo, o crédito pessoal UNIBANCO. No site, o cliente tem acesso a um simulador de crédito pessoal onde poderá calcular os valores de mensalidade para empréstimos entre €5.000 e €75.000 cruzando-o com o prazo em que pretende fazê-lo (entre 24 e 84 meses) e as taxas de juro específicas para cada escolha.

Depois de terminada esta tarefa, o cliente pode pedir o crédito pessoal online. Tal só é possível porque o UNIBANCO garante uma adesão totalmente digital a esta modalidade de crédito.

Para além da possibilidade de contratualizar um crédito pessoal online, esta solução de financiamento oferece mensalidades fixas, possibilidade de incluir seguro, não tem comissões de abertura e está disponível para clientes de qualquer banco.

A estas características gerais, somam-se as taxas de juro que estão sempre acopladas a qualquer empréstimo pessoal, mas esta área pede uma análise à parte que veremos já de seguida.

Taxas de juro

Como referimos, no valor de mensalidade de qualquer empréstimo pessoal, estarão incluídas taxas de juro, em especial, duas a que deve tomar particular atenção: TAEG e TAN.

Enquanto a TAEG (Taxa Anual de Encargos Efetiva Global), representa o custo total de determinado crédito e serve de referência no comparativo entre propostas de crédito, isto é, quanto menor uma TAEG for, menos o consumidor paga, a TAN (Taxa Anual Nominal) representa o custo global associado aos juros do empréstimo.

Como esta taxa é anual, para perceber em que medida a TAN irá afetar as suas finanças mensalmente, terá que dividir o valor por 12. Importa ainda dizer que a TAN não inclui os valores de encargos ou impostos, é obrigatória em todos os contratos de crédito e é sempre aplicada durante o período de um ano.

Apesar de não ser uma taxa, o consumidor deve prestar atenção ao MTIC (Montante Total Imputado ao Consumidor) que, no fundo, é o valor total em que terá que reembolsar a instituição para o prazo que escolheu.

Documentos Necessários

De forma geral, para poder concluir um pedido de empréstimo pessoal, online ou não, terá que fornecer os seguintes documentos à instituição de crédito:

  • Cartão de Cidadão (CC);
  • Comprovativo de morada, tal como, por exemplo, uma fatura da água, luz ou pacote de telecomunicações;
  • Comprovativo de rendimento: a última Declaração de IRS e Nota de Liquidação (no caso de se tratar de um trabalhador por conta de outrem terá que apresentar, pelo menos, um recibo de vencimento podendo ainda ser pedida uma declaração da entidade patronal relativa ao vínculo laboral do trabalhador);
  • Comprovativo de IBAN.

Tipos de adesão

Existem duas alternativas a quem procura um empréstimo pessoal. A primeira é a mais “tradicional” e implica que se dirija a um balcão físico de um banco/instituição de crédito e proceda ao pedido junto dos responsáveis. Por norma, esta forma é mais exigente do ponto de vista burocrático e, como tal, mais lenta do que um pedido de crédito pessoal online.

Apesar das soluções digitais de crédito serem mais antigas que esta migração em massa para o digital a que se tem assistido, a total digitalização de todas as etapas que constituem um pedido de crédito é mais recente e veio agilizar e conferir uma rapidez nunca vista a este processo até então bastante burocrático.

Tal como vimos no exemplo do crédito pessoal online do UNIBANCO, o processo começa com uma simples pesquisa no browser do seu PC/smartphone ou na ida direta ao site de uma instituição de crédito e procurar pela página de crédito pessoal.

Depois de utilizado o simulador que estas instituições disponibilizam e acertado um valor e prazo, o cliente só terá que clicar num botão que dirá algo como “Pedir Crédito” ou “Pedir Já” e será reencaminhado para o preenchimento de um formulário online onde deve inserir os seus dados pessoais e os documentos solicitados de modo a finalizar o seu pedido de empréstimo.

O tempo de espera por uma resposta pode variar dependendo de quanto tempo o banco/instituição financeira irá demorar a verificar a informação que forneceu, mas, na maior parte dos casos, o prazo de resposta não ultrapassa os dois dias úteis e, em caso de resposta positiva, o valor solicitado pode ser depositado na conta do cliente no espaço de alguns dias úteis.