De que está à procura ?

Publireportagens

Fundação Jean Pina proporcionou Natal diferente a milhares de pessoas

João Pina, empresário na região de Paris há mais de 30 anos é oriundo do Concelho da Guarda, mas continua a manter com a Sua Região uma ligação de muita proximidade, principalmente com Instituições de solidariedade, com pessoas mais vulneráveis como é o caso dos idosos, das crianças institucionalizadas.

João Pina é hoje reconhecido em Portugal, em França e no mundo, e como referiu o Presidente da Freguesia da Guarda no passado dia 29 de dezembro, “registamos com agrado e satisfação a cooperação estabelecida entre a Junta de Freguesia e o Sr. Jean Pina, deixando claro o nosso reconhecimento pela preocupação e alegria com que verificamos, ano após ano, o(s) gesto(s) de solidariedade e fraternidade concretizado(s) por este “homem bom” da nossa terra”.  

A fundação iniciou a sua atividade há 2 anos com a realização de uma ceia solidária para mais de 1.000 pessoas, atividade suspensa em 2020 e 2021 devido à Pandemia de Covid 19, mas como refere este responsável, “espero que seja retomada em 2022, ou assim que a pandemia nos deixe estar próximos, é algo que temos muitas saudades, dos afetos, da partilha, do estar próximo”. Pese embora, a sua não realização a campanha de Natal superou todas as expetativas iniciais, fruto de dedicação e empenho de muitos e empenhados gestos e o slogan deste Natal solidário foi plenamente cumprido- “5.000 Sorrisos atravessaram fronteiras, neste Natal, de todos e para todos”.

Neste Natal Solidário, pela primeira vez e fruto de um acordo de cooperação com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, através da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas e da Federação Iberoamericana de Luso Descendentes, esta Fundação ofereceu na sua totalidade duas centenas de cabazes de Natal a famílias portuguesas e lusodescendentes a residir na Venezuela, atividade desenvolvida em plena articulação com a rede diplomática e consular de Portugal na Venezuela.  

Pelo segundo ano consecutivo e apesar de todas as contingências agravadas pela Pandemia de Covid 19, os objetivos iniciais desta Fundação, que já nos habituou a que a solidariedade esteja presente, foram sobejamente ultrapassados. A solidariedade uma vez mais esteve presente.

Segundo refere este altruísta, “esta campanha solidária teve início há cerca de 7 meses e quando comecei a trabalhar o objetivo era distribuir cerca de 1.000 cabazes, número idêntico ao do ano passado, contudo, no decorrer dos meses a vontade de fazer mais e melhor foi tendo cada vez mais força e dedicação”.  Assim, foram entregues 1200 cabazes, dos quais 800 em Portugal, em particular no Distrito da Guarda, nos Concelhos da Guarda, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo e Almeida e à área social do Município de Mangualde, com quem esta Fundação possui um protocolo de cooperação há cerca de um ano e meio. 

Este ano a Cidade de Fafe foi igualmente apoiada com 11 paletes de bens alimentares e de higiene entregues à Cruz Vermelha, Santa Casa da Misericórdia e a estudantes em situação de fragilidade económica da Escola Profissional de Fafe.

Em Santo Tirso e Trofa e pelo segundo ano consecutivo a Associação “ASAS – Associação de Solidariedade e Ação Social” foi apoiada com uma palete de produtos alimentares para famílias desfavorecidas e que são acompanhadas por esta Associação. 

Foram também ajudadas 2 associações cuidadoras de animais sediadas na Guarda e em Fafe com bens alimentares e produtos de manutenção e limpeza.

Em França e tal como no ano transato foram distribuídos 200 cabazes, os mesmos foram entregues em Lyon onde a ajuda desta Fundação é uma constante através da sinalização e acompanhamento de perto por parte da Embaixadora da Fundação nesta cidade e que é dirigente da Associação Raízes-Patrícia Correia.

Foram doados, pelo segundo ano consecutivo, à Associação “Luso Poissy” e em Saint Germain foram igualmente entregues cabazes alimentares, assim como, na Cidade de Bordéus. Em Paris a Associação escolhida no presente ano foi a “Ndona Charity” que cuida de doentes que lutam contra as mazelas causadas por acidente vascular cerebral – AVC.

João Pina refere ainda que este Natal solidário foi algo ímpar, foram entregues para além dos cabazes, 58 paletes com alimentos, produtos de higiene e de desinfeção. Estas ajudas  só foram possíveis  graças aos inúmeros  apoios concedidos à  Fundação,  “falo das empresas de transportes que levaram os bens de França para Portugal de forma gratuita ( Transportes Bernardo Marques da Guarda, Transportes Mesquita de Amarante e da Transnós, Transportes Lda, com sede em Fafe) , refiro com gratidão os meus amigos Filipe e sua esposa do Le Havre, da “Pastelaria Belém”, do supermercado “Panier du Portugal” do restaurante “Le Costa au Pecq”, em Paris, do “Lar de Santana d´Azinha”- apesar de todas as contingências de entradas na instituição , a Direção, os colaboradores e famílias dos utentes não deixaram de participar  , da “Freguesia da Guarda” que mais uma vez não mediu esforços e concebeu  a totalidade dos cabazes distribuídos no Distrito da Guarda, das centenas de seguidores desta fundação e dos dois outros elementos  de Direção, Lú Miranda e Jorge Alexandre, por fim, mas muito importante,  um bem haja especial aos  meus filhos e empregados que comigo trabalharam noite e dia”. 

Concluído que está este Natal de todos e para todos, João Pina refere que foi um período de muita trabalho e dedicação e que estão neste momento estão a ser pensadas as atividades para o ano que agora iniciou. 

TÓPICOS