De que está à procura ?

alemanha
Lisboa
Porto
Berlim, Alemanha
Colunistas

A importância da nossa Diáspora investir em Portugal: o novo regime de incentivos

Deve estar a fazer um ano sobre a data em que tive o prazer de participar no “Portugal Positivo”, organizado pelo BOM DIA aquando do seu 18º aniversário.

Nessa altura tive a oportunidade de, na minha intervenção, abordar a importância de a Diáspora começar a olhar para Portugal como uma opção, ou melhor, uma oportunidade de investimento.

Isto, fortalecendo a ligação ao “nosso” Portugal e permitindo estabelecer uma forte ligação com as origens, que, na altura foi referido como ”Portugal Link”.

O objectivo da minha intervenção no “Portugal Positivo” foi o de salientar a importância da nossa Diáspora, o “ativo” que esta constitui e a oportunidade de investir em Portugal, ajudando o País a evoluir através da criação de riqueza, investimento, criação de empregos e estabelecer uma ligação mais forte entre a Diáspora e respectivo país de origem, em especial para os Lusodescendentes.

Fiz expressa referência a todos os benefícios e medidas de incentivos que existiam e existem no âmbito do investimento imobiliário, nomeadamente as “ARU” Áreas de Requalificação Urbana” e os “IFFRU” – incentivos ao financiamento de investimento nas ARU – que, no seu conjunto, permitem investir em condições muito vantajosas e ainda conseguir explorar o negócio, relacionando com o imóvel, com grandes benefícios fiscais ou mesmo isenção de impostos.

É com grande satisfação que vejo a recente aprovação do “PNAID – Programa Nacional de Apoio ao Investimento da Diáspora” que vem lançar as bases e incentivos para que a Diáspora passe a investir em Portugal, valorizando-a enquanto ativo estratégico para Portugal e reconhecendo-lhe a capacidade para ajudar no crescimento económico do Pais e ao mesmo fortalecer a ligação ao país de origem.

Faço votos para que a Diáspora opte por “olhar” para o “nosso” Portugal e tome ciência de todos os benefícios e vantagens de reestabelecer e fortalecer o “link” com a nossa realidade, aconselhando-se, de uma forma estruturada, sobre a melhor forma de o fazer.

Optar por investir em Portugal será uma decisão correta e optar por fortalecer a ligação ao “nosso” País será uma opção “de coração”.

Miguel Kramer

 

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.