De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Portugal

Aldeias Históricas de Portugal reinventam-se em tempos de pandemia

A Rede das Aldeias Históricas de Portugal desenvolveu um plano operacional de combate à covid-19, com o objetivo de “reforçar as 12 aldeias da rede como destino seguro e sustentável, no atual cenário pandémico”.

“As Aldeias Históricas de Portugal tornam-se, assim, o primeiro destino em rede, em Portugal, a desenvolver um programa tão completo de resposta à covid-19”, lê-se num comunicado enviado à agência Lusa.

Segundo a nota da Associação das Aldeias Históricas de Portugal, “os turistas, a população residente, mas também os agentes económicos e as mais diversas entidades do território, são os alvos de um plano que surgiu da necessidade identificada pelas Aldeias Históricas de Portugal de requalificar e adaptar as aldeias enquanto destino seguro e de confiança”.

O plano, elaborado em parceria com a consultora Deloitte, partiu de um desafio lançado pelas Aldeias Históricas, visando garantir que todo o ecossistema do Turismo instalado nas 12 aldeias que integram a rede “tenha capacidade de resposta à nova situação, de forma a acautelar os interesses das comunidades locais e, simultaneamente, transmitir um sentimento de segurança que atraia os turistas”.

A consultora analisou a situação nas 12 aldeias e a sua capacidade de adaptação à nova realidade, nomeadamente nos vetores de alojamento, restauração, património, mobilidade, comércio e natureza.

Segundo a fonte, o diagnóstico revelou que a principal dificuldade transversal às Aldeias Históricas “relaciona-se com a mobilidade, uma vez que uma parte significativa do tecido urbano das aldeias é composto por vias estreitas, que não facilitam o distanciamento, no caso de se registarem grandes fluxos de turistas”.

“O plano sublinha a necessidade de sensibilização dos turistas, residentes, agentes económicos e entidades diversas para os efeitos da pandemia, uma vez que a maioria da população das aldeias se encontra num grupo de risco, devido à idade avançada”, lê-se.

Para dar resposta às necessidades identificadas, transversais e específicas, o plano elenca um conjunto de medidas a aplicar, como a digitalização, com a implementação de medidas diversas que digitalizem processos, com vista à redução dos pontos de contacto, e o desenvolvimento de medidas de adaptação sanitária em termos de mobilidade, informação e higiene, entre outras.

A organização de ações de capacitação como ‘webinars’ de esclarecimento “Destino Seguro e Sustentável”, mas também a implementação de diferentes sistemas de monitorização, de modo a avaliar a evolução da adoção das medidas de mitigação implementadas, bem como a implementação de tecnologias com funcionalidade de gestão de fluxos, são outras das propostas.

“No fundo, o plano propõe um conjunto de iniciativas que, objetivamente, mitigam os riscos de propagação do vírus em cada Aldeia Histórica”, sublinha a fonte.

Almeida, Belmonte, Castelo Mendo, Castelo Novo, Castelo Rodrigo, Idanha-a-Velha, Linhares da Beira, Marialva, Monsanto, Piódão, Sortelha e Trancoso são as doze Aldeias Históricas de Portugal.

As Aldeias Históricas de Portugal são o primeiro destino em rede – à escala mundial -, e o primeiro destino nacional a receber a certificação Biosphere Destination.