De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Portugal

Aeroportos lusos receberam 1.3 milhões de passageiros em julho

Os aeroportos portugueses registaram uma recuperação nos movimentos de passageiros, ainda assim com uma queda homóloga de 79,5% em julho, para 1,3 milhões, depois de em junho terem caído 94,6%, divulgou esta quinta-feira o INE.

De acordo com as estatísticas rápidas do transporte aéreo de julho, o movimento de passageiros nos aeroportos nacionais recuperou em julho, mas está “ainda distante dos valores homólogos”, refere o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Os aeroportos do país registaram, no mês em análise, o movimento de 1,3 milhões de passageiros (embarques, desembarques e trânsitos diretos), o que representa uma queda homóloga de 79,5%, depois de diminuições de 94,6% em junho e 98,5% em maio.

No mês de julho aterraram nove mil aeronaves em voos comerciais nos aeroportos nacionais, o que representa uma diminuição de 61,8% face ao mesmo mês do ano passado, após quedas de 86% em junho e de 92,3% em maio.

“Analisando o número de aeronaves aterradas e o número de passageiros desembarcados diariamente entre janeiro e julho de 2020, e comparando com o período homólogo, é visível o impacto da pandemia de covid-19 e das medidas adotadas ao nível do espaço aéreo a partir do início da segunda quinzena do mês de março”, aponta o INE.

A partir do mês de julho, a entidade observou uma “ligeira recuperação”, apesar de ainda se registarem reduções superiores a 50% no número de aterragens e a 70% no número de passageiros desembarcados.

Já no que diz respeito ao primeiro semestre do ano, aterraram nos aeroportos nacionais 55,1 mil aeronaves em voos comerciais, o que corresponde a menos 58,4% face ao mesmo período do ano anterior.

No mesmo intervalo de tempo, foram movimentados 11,2 milhões de passageiros, uma queda de 67,3%.

O aeroporto de Lisboa movimentou 55% do total de passageiros (6,2 milhões) e registou um decréscimo de 65,2%.

Já o aeroporto de Faro foi o que evidenciou uma maior diminuição do número de passageiros movimentados entre janeiro e julho, com uma queda de 79,8%, quando considerados os três aeroportos com maior tráfego de passageiros em Portugal.

Quanto ao volume de passageiros desembarcados e embarcados em voos internacionais, nos primeiros seis meses do ano, França foi o principal país de origem e de destino desses voos, seguido do Reino Unido, que registou a maior redução do número de passageiros desembarcados e embarcados (quedas de 74,9% e 73,9%, respetivamente).

Espanha e Alemanha mantiveram-se em terceiro e quarto lugar na lista de principais países de origem e destino e a Suíça substituiu o Brasil na quinta posição.

Relativamente ao movimento de carga e correio nos aeroportos nacionais, em julho, totalizaram-se 9,6 mil toneladas, correspondendo a uma diminuição de 47,8%, face a julho de 2019 (tinha caído 54,1% em junho e 55,5% em maio).

Já entre janeiro e julho, registou-se uma diminuição de 31,1% do movimento de carga e correio, atingindo 80,7 mil toneladas.

O movimento de mercadorias no aeroporto de Lisboa representou 65,2% do total, atingindo 52,7 mil toneladas, uma queda de 38,2% face ao período homólogo.