De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

A fotografia tornada arte da DDiArte

D de Arte? Sim! Quando Zé Diogo e Diamantino Jesus montaram a DDiArte em 1999, era apenas, na época, uma oficina de pintura onde reuniam o melhor de ambos para os propósitos de criação, no caso, pintura sobre tela. Em 2003, após várias experiências no campo e na fotografia digital, descobriram os meios ideais para expressar a sua criatividade: fotografia digital artisticamente retocada.

Dentro do contexto da historiografia da arte, o uso da fotografia, e mais especificamente, do retoque de fotografias, não é novidade. E a dupla pretendia inovar um pouco, sobretudo em termos dos temas em que se baseiam. Independentemente do facto de que sua principal fonte de inspiração é a mitologia, temas da atualidade ou outros que são simples fruto da sua criatividade, os seus trabalhos permanecem cheios de detalhes, de símbolos, de imagens, numa tentativa de cativar, mas principalmente, numa tentativa de estimular o pensamento crítico de quem os vê.

Embora parte do seu trabalho possa ser visto como satírico neste nosso mundo globalizado, mas ainda assim, repleto de diferenças, outros exemplos podem ser vistos como puramente cénicos, apenas para serem contemplados à vontade. Se alguns gritam contra a discriminação, ao mesmo tempo prestam indelével homenagem à beleza.

A dupla é oriunda da ilha da Madeira: Diamantino nasceu em Fevereiro de 1969 e Zé Diogo nasceu em Março de 1966. O primeiro, desde a infância demonstrou grande interesse pela arte, revelando enorme talento para a pintura e desenho. Após a licenciatura em Arte e Design pela Universidade da Madeira foi estudar dois anos de restauro em Pamplona, Espanha. Zé Diogo, igualmente desde muito cedo revelou talento para a pintura e desenho, mas também um grande interesse por ciência e tecnologia. Acabou por licenciar-se em Engenharia Química pelo IST, em Lisboa. Juntos desde 1999, estes artistas, ao criarem a DDiArte, passaram a dedicar-se à pintura, realizando exposições colectivas e individuais, assim como pinturas da sua autoria em tectos de igrejas. Em 2003, surgiu o interesse pela fotografia digital, e como autodidactas que eram nesta área, produziram obras de grande qualidade, consideradas como obras de arte, algumas das quais premiadas a nível mundial.

De facto, estes mentores da Ddiarte já são vencedores de uma infindável lista de prémios, tais como primeiro prémio atribuído em Paris, pela revista francesa PHOTO e uma companhia telefónica francesa, seis meses após se terem iniciado na fotografia. Este primeiro reconhecimento foi o mais marcante e aquele que lhes indicou que estavam no caminho certo, mas houve realmente muitos outros prémios que se destacaram.

Embora gostassem de viver em exclusivo da sua arte, infelizmente Diamantino e Zé Diogo não podem dedicar-se exclusivamente à fotografia, mantendo as suas profissões: Diamantino continua a ser professor e Zé Diogo prossegue como engenheiro químico, mas com horários reduzidos, caso contrário não daria para conciliar tudo.

Ao fim de quase 15 anos de actividade, o balanço é super positivo! A dupla, quando começou, nunca sonhou chegar onde chegou, com tantos prémios e reconhecimento a nível internacional. E com inúmeras obras para nos deleitar…

Podem acompanhar mais o seu trabalho aqui:
www.facebook.com/ddiarte
http://www.ddiarte.photography