De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Comunidades

A estrela portuguesa que luta pelo Luxemburgo

© Ricardo Silva

Chama-se Cláudio Nunes dos Santos, tem 20 anos, vive no Luxemburgo desde os cinco e há mais de uma década que pratica judo no Grão-Ducado.

Em entrevista exclusiva ao BOM DIA, Cláudio afirma ter tido uma adaptação fácil à realidade luxemburguesa, pois admite ter aprendido “depressa a língua”. Neste momento está no décimo segundo ano de Sociologia, em Differdange, mas tenciona dedicar-se ao judo a tempo inteiro.

“Perdi tempo na escola, por causa do desporto, mas já estou a recuperar. Só me faltam dois anos para terminar o ensino secundário”, revelou.

Questionado sobre o seu passado desportivo, dos Santos afirma ter começado no atletismo, com oito anos, e depois mudou-se para o futebol. “Corri em Esch-sur-Alzette durante três anos, mas tive de parar quando me mudei para Differdange. Como não encontrei equipas de atletismo, dei por mim no judo completamente por acaso. Um dia entrei no centro desportivo de Differdange e experimentei. Venci os primeiros combates e, como sou muito competitivo, quis continuar a lutar”.

A onda de bons resultados manteve-se e o nome do jovem atleta, natural de Portimão, continuou a crescer no seio do desporto criado por Jigoro Kano em 1882.

As suas habilidades enquanto judoca destacaram-no dos demais no tatami, o que motivou uma chamada à seleção luxemburguesa.

“Luto ao mais alto nível há cerca de quatro anos, mas desde os onze que integro a seleção do Luxemburgo”.

Questionado sobre uma eventual chamada à seleção portuguesa, Cláudio não a descarta, mas diz que está muito feliz na federação luxemburguesa.

“Representei Portugal no escalão sub-18, mas estou bem no Luxemburgo. Aliás, sinto-me tão português quanto luxemburguês”, atirou.

Ao serviço dos “leões vermelhos”, Cláudio dos Santos afirma já ter defrontado oponentes portugueses, mas vinca que a sua competitividade natural fala ‘mais alto’, não havendo lugar para distrações na hora do combate.

“Quando luto, luto por mim. Quem está à minha frente é um adversário e eu quero ganhar, independentemente da sua nacionalidade. Em Espanha e na Taça da Europa, em Coimbra, lutei contra os melhores atletas portugueses e venci a maior parte deles”, concluiu.

Nascido no final do século XX, o portimonense conta no curriculum com diversas provas e medalhas internacionais, entre as quais uma prata (segundo lugar) no Campeonato Europeu de Júniores de 2019, realizado em Cluj, na Roménia, e com o ouro (primeiro lugar) na Taça Pan-Americana de 2019, disputada no Montreal, Canadá.

Para além destes dois pódios, Cláudio Nunes dos Santos garantiu em 2018 dois segundos lugares na Austrália, no Oceania Junior Cup Perth e no Perth Oceania Open.

Neste momento integra a equipa sénior alemã do Bad Homburg, que milita na segunda divisão, mas diz estar afastado daquela competição há cerca de um ano devido às provas internacionais. Contudo, o ano de 2018 foi um sucesso, tendo vencido todos os cinco combates que disputou.

O atleta, que luta na categoria -73 quilos, voltou a demonstrar a sua forte ambição ao longo da entrevista ao garantir que está a preparar-se para a qualificação dos Jogos Olímpicos de 2020, que vão ser disputados em Tóquio, capital do Japão.

“Sei que tenho 60% de hipóteses de falhar, mas o meu objetivo é ganhar experiência e o maior número de pontos para estar em Tóquio”.

“No futuro, quero trazer o ouro dos Jogos Olímpicos e dos Mundiais”, terminou.