De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Lifestyle

82 empresas portuguesas em feira na Alemanha

 Oitenta e duas empresas portuguesas ocupam até sexta-feira um espaço recorde na feira Heimtextil, a maior mostra internacional de têxteis-lar, que se realiza em Frankfurt, na Alemanha.

De acordo com o diretor-geral da Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP), Paulo Vaz, as empresas portuguesas ocupam a sua maior área de sempre, um total de 5.896 metros quadrados de exposição, que é “uma das representações mais sólidas em termos europeus”.

Uma feira que implicou “um esforço financeiro importante”, reconheceu o secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, que visita neste primeiro dia a Heimtextil, juntamente com o secretário de Estado da Economia, João Correia Neves.

“É o esforço de trazer o melhor que nós temos, de uma forma muito competitiva, em termos internacionais. Temos poucas feiras no mundo com uma participação tão numerosa de empresas portuguesas como é o caso da Heimtextil”, sublinhou Eurico Brilhante Dias, em declarações à agência Lusa.

“Viemos dar maior visibilidade à participação portuguesa, mostrar que Portugal é um país que aposta neste setor e que acredita que esta é uma oferta importante do país e que pode contribuir fortemente para o aumento das exportações portuguesas”, realçou o secretário de Estado da Internacionalização.

De acordo com a organização da Heimtextil, são quase três mil expositores de todo o mundo, em que 90% são de fora da Alemanha. Portugal “destaca-se como principal fornecedor europeu de roupa de cama e banho.”

“É a feira plataforma, a mais importante à escala internacional para que todos aqueles que estão envolvidos nesta indústria compareçam, quer como expositores, quer como visitantes (compradores ou profissionais) para se aperceberem das grandes tendências que vão marcar o ano que está a começar”, sublinhou o diretor geral da ATP.

Segundo Paulo Vaz, no subsetor têxtil-lar há a previsão “de um ligeiro crescimento das exportações”, rondando um valor de 700 milhões de euros em 2018. Um número que representa “cerca de 10 a 11% de tudo o que têxtil exporta”.

No setor têxteis-lar está previsto um incremento das exportações próximo dos três porcento. Eurico Brilhante Dias frisa a importância da presença na Heimtextil para que esse valor continue a crescer.

“Esta feira é muito importante porque é profissional, onde as empresas portuguesas encontram os seus clientes, e procuram aqui uma base para as suas encomendas num futuro próximo”, comentou.

Espanha é o principal destino das exportações nacionais de têxtil e vestuário, ao comprar cerca de 30% das exportações do setor, seguida de França, Alemanha, Reino Unido, Itália e Estados-Unidos, esclareceu Paulo Vaz.

Tal como em anos anteriores, várias empresas contam com o apoio da Associação Home From Portugal, no âmbito do Projeto de Internacionalização ao abrigo do Portugal 2020. Já a Associação Seletiva Moda, está presente com dois espaços dedicados às tendências “made in Portugal”.

O município de Guimarães, de onde são cerca de metade das empresas presentes na feira, também tem um ‘stand’ de divulgação da região.