De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Europa

4000 postos de trabalho podem sair do Reino Unido

Um dirigente do Banco de Inglaterra advertiu que cerca de 4.000 empregos na banca e seguros podem sair do Reino Unido para a União Europeia (UE) até ao ‘Brexit’, no final de março.

“O número de postos de trabalho que prevemos que vão do Reino Unido para a UE até ao fim de março nos bancos e seguros é inferior a 5.000, cerca de 4.000”, explicou Sam Woods, governador adjunto do Banco de Inglaterra que respondia, ao lado do líder da instituição, Mark Carney, às perguntas da comissão do Tesouro na Câmara dos Comuns.

Estes 4.000 postos de trabalho são “um número pequeno tendo em conta os 500.000 empregos no setor da banca e seguros”, considerou Woods, que há um ano tinha antecipado a perda de 10.000 empregos.

O responsável do banco central disse ainda que pode haver a saída de mais postos de trabalho do Reino Unido após o mês de abril, mas a dimensão das saídas dependerá das condições do ‘Brexit’, a saída britânica da UE.

A audição dos responsáveis da instituição ocorre uma semana após a publicação de vários cenários apresentados pelo Banco de Inglaterra em função das modalidades políticas do ‘Brexit’, com um quadro particularmente preocupante no caso de uma saída sem acordo, que veria a taxa de desemprego subir para sete vírgula cinco porcento, a inflação para seis vírgula cinco porcento e uma descida dos preços no imobiliário de 30%.

“Nos cenários mais negativos pode esperar-se ver os preços dos alimentos registarem um aumento de 10%”, apontou Carney.

O governador lembrou, no entanto, que o Banco de Inglaterra e o sistema financeiro britânico estão preparados para enfrentar qualquer cenário de saída.

O Parlamento britânico iniciou cinco dias de debate sobre um acordo de saída alcançado entre o Governo conservador de Theresa May e os dirigentes da UE, estando prevista a sua votação no próximo dia 11. O texto tem sido criticado pela oposição trabalhista e também por deputados conservadores.