De que está à procura ?

Colunistas

25 de Abril sempre

Mote:

A madrugada de cravo e orvalho novo
corajosa escorraçou a noite vil
floresceu a Primavera esperada pelo povo
a liberdade, o futuro e tudo no país de Abril.

Canto:

Trezentos dias de vida tinha eu
quando a madrugada desejada raiou
os olhos de meus pais no exílio das terras vermelhas
vibraram com a menina liberdade
que tinha saído à rua para guiar de novo o povo.

Que jovens são estes montados em carros de guerra
que entraram na cidade e lhe arrancaram a mordaça
com flores ao peito e uma vontade feroz de paz
despertaram o país amodorrado e a nação sequestrada?

Os olhos rasos de água e felicidade
as crianças, as mulheres e os homens
cantaram em uníssono as canções proíbidas
e os poemas amputados foram resgatados
nesse dia cada português ficou
com um cravo vermelho no lugar do coração
em Abril nascemos todos uma segunda vez.

JLC25042021

José Luís Correia
25.04.2021

Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

TÓPICOS