De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Portugal

Web Summit pede desculpas por qualquer ofensa causada por uso do Panteão Nacional

A organização da Web Summit pediu, este sábado, desculpas “por qualquer ofensa causada” pela utilização do Panteão Nacional para um jantar associado à cimeira tecnológica, garantindo que o evento, “conduzido com respeito”, respeitou as regras do local.

“Pedimos desculpa por qualquer ofensa causada. Este foi um jantar organizado segundo as regras do Panteão Nacional, e conduzido com respeito”, referiu o presidente executivo (CEO) da Web Summit, Paddy Cosgrave, numa breve declaração escrita enviada às redações.

No mesmo texto, Paddy Cosgrave frisou que a Web Summit “tentou honrar a História de Portugal”, bem como pretendeu que os respetivos convidados “valorizassem o passado tão rico” do país.

A polémica surgiu após a divulgação de informações nas redes sociais que deram conta da realização de um jantar exclusivo com convidados da Web Summit no Panteão Nacional, em que participaram presidentes executivos, fundadores de empresas e ‘startups’, investidores de alto nível, entre outras personalidades.

O jantar em questão chama-se ‘Founders Summit’ e decorreu na sexta-feira em Lisboa, no dia seguinte ao encerramento da cimeira tecnológica.

Na sequência destas informações, o Governo português classificou a utilização do espaço do Panteão Nacional para a realização deste jantar exclusivo de convidados da Web Summit como “absolutamente indigna”, referindo que tal uso estava enquadrado legalmente através de um despacho proferido pelo anterior executivo liderado pelos sociais-democratas.

Também disse que vai proceder à alteração da lei “para que situações semelhantes não voltem a repetir-se, violando a história, a memória coletiva e os símbolos nacionais”.

Ainda na breve mensagem, o irlandês Paddy Cosgrave faz referência à sua herança cultural, indicando que faz parte da cultura irlandesa celebrar a morte, recordando que, anteriormente, este evento já foi realizado na Catedral Christ Church, em Dublin, na maior cripta do Reino Unido e Irlanda.

“Pedimos desculpa pela nossa tentativa de celebrar o f.ounders [‘Founders Summit’] desta forma”, concluiu o texto.

Segundo a organização da Web Summit, nesta segunda edição do evento em Portugal que decorreu entre segunda e quinta-feira na capital portuguesa, participam 59.115 pessoas de 170 países, entre os quais mais de 1.200 oradores, 1.400 investidores e 2.500 jornalistas.

A cimeira tecnológica, de inovação e de empreendedorismo, nasceu em 2010 na Irlanda e mudou-se em 2016 para Lisboa por três anos, com possibilidade de mais dois de permanência na capital portuguesa.