De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Mundo

Vinhos da região de Santarém a caminho da Austrália

A NERSANT – Associação Empresarial da Região de Santarém, no âmbito do seu projeto de apoio à exportação das empresas da região, o Exportintelligence, está a realizar estudos de mercado onde são identificados os produtos da região com maior potencial de exportação para diversos mercados. No caso da Austrália, o vinho é um dos produtos identificados com maior potencial.

Moçambique, Marrocos, Colômbia, Gana, Canadá, Turquia, México, Chile, Polónia e Austrália. São estes os mercados-alvo de um conjunto de estudos que a NERSANT está a ultimar e que têm como objetivo identificar, em cada um dos territórios, os produtos do Ribatejo com maior potencial de exportação.

Para tal, a NERSANT aplica, em cada um dos estudos, uma metodologia de análise de competitividade das exportações do concelho de Santarém face aos países de destino, com base no cálculo do Índice da Vantagem Comparativa Revelada (IVCR) das exportações portuguesas e do Índice de Desvantagem Comparativa Revelada (IDCR) das importações daquele país, entre outros indicadores.

Um dos estudos já finalizados e disponíveis para distribuição junto das empresas é referente ao mercado australiano. Neste caso, a aplicação da metodologia permitiu selecionar 70 produtos com potencial para aumentar as vendas no mercado australiano, distribuídos em 15 secções.

De acordo com o estudo feito para o mercado australiano, a secção que apresenta maior potencial de incremento das exportações é a secção IV, referente a “produtos das indústrias alimentares, bebidas, líquidos alcoólicos e vinagres, tabaco e seus sucedâneos manufaturados”, tendo sido identificados 10 produtos onde o mercado de destino representa mais de mil milhões de euros de importações e praticamente um quarto do valor total do mercado potencial. Nesta secção, destacam-se o potencial do vinho, cerveja, produtos de padaria, ketchup e vinagre.

Destaque também para as secções VI – Produtos das indústrias químicas ou das indústrias conexas, com 6 produtos, VII – Plástico e suas obras borracha e suas obras, com 3 produtos, XI – Matérias têxteis e suas obras, com 7 produtos, XVII – Material de transporte, com 3 produtos e XX – Mercadorias e produtos diversos, com 2 produtos, todas com valores na casa dos 400 milhões e que em conjunto representam 50% do valor total de mercado potencial.

Para além destas secções, o estudo identifica outras com potencial de exportação. São elas: I – Animais vivos e produtos do reino animal; II – Produtos do reino vegetal; III – Gorduras e óleos animais ou vegetais; produtos da sua dissociação; gorduras alimentares elaboradas; ceras de origem animal ou vegetal; IV – Produtos das indústrias alimentares; bebidas, líquidos alcoólicos e vinagres; tabaco e seus sucedâneos manufaturados; VIII – Peles, couros, peles com pêlo e obras destas matérias; artigos de correeiro ou de seleiro; artigos de viagem, bolsas e artefactos semelhantes; obras de tripa; X – Pastas de madeira ou de outras matérias fibrosas celulósicas; papel ou cartão para reciclar (desperdícios e aparas); papel e suas obras; XI – Matérias têxteis e suas obras; XII – Calçado, chapéus e artefactos de uso semelhante, guarda-chuvas, guarda-sóis, bengalas, chicotes e suas partes; penas preparadas e suas obras; flores artificiais; obras de cabelo; XIII – Obras de pedra, gesso, cimento, amianto, mica ou de matérias semelhantes; produtos cerâmicos; vidro e suas obras; XV – Metais comuns e suas obras; e XVI – Máquinas e aparelhos, material elétrico, e suas partes; aparelhos de gravação ou de reprodução de som, aparelhos de gravação ou de reprodução de imagens e de som em televisão, e suas partes e acessórios.

Para além do estudo de mercado os produtos ribatejanos com potencial de exportação para a Austrália, estão ainda em preparação outros estudos, referentes aos mercados de Moçambique, Marrocos, Colômbia, Gana, Canadá, Turquia, México, Chile, e Polónia. As empresas interessadas em conhecer na íntegra estes estudos, devem solicitar o mesmo à NERSANT, através dos contactos datic@nersant.pt ou 249 839 500.

Procedimentos e barreiras de acesso também disponíveis

Para além da identificação dos produtos com maior potencial para diversos mercados, o projeto Exportintelligence tem ainda como objetivo efetuar o levantamento dos principais procedimentos e eventuais barreiras de acesso a mercados, para facilitação do acesso das empresas da região, dando-lhes ferramentas de prévia análise e preparação antes de se abordarem esses novos mercados. Para o mercado da Austrália, este documento já está disponível, estando nele patente a caracterização do país, com enfoque nas relações económicas e comerciais com Portugal, comércio internacional e caráter fiscal da Austrália, e ainda os procedimentos para exportação para este país, destacando-se informações como os regimes aduaneiros, proibições e regimes especiais, certificações e vistorias necessárias, requisitos de embalagem e rotulagem, entre outros. Para além da Austrália, os estudos estão também disponíveis para os mercados de Marrocos, Moçambique, Gana, Polónia, Colômbia, México, Chile, Canadá e Turquia.

Ainda quanto ao mercado da Austrália, a NERSANT tem ainda disponíveis várias fichas de produtos com informações relevantes de apoio à exportação, como o valor de importações, peso de Portugal no mercado e nesse produto, preços, evolução nos últimos anos, maiores importadores, informações de caráter logístico, entre outros dados.