De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

Viagens de um solteiro: consegui capotar um barco!

Durante o tempo em que vivi em Boston, tinha muitos hobbies. Um deles era velejar. Inscrevi-me no clube comunitário da vela no Charles River.

A primeira vez que fui lá comentei: “Velejar no rio, são peanuts. Estou habituada ao forte Atlântico.”

Que vergonha! Peguei num barco, fui velejar com um colega e não muito tempo depois, estávamos ambos por baixo do barco.

A equipa teve que nos vir buscar. Tivemos que tirar toda a água do barco. Limpar as velas. Porque o rio tem um terra muito escura. E, eles estavam com raiva de mim. E eu estava com vergonha.

Mas, na verdade, durante os três meses seguintes de vela, pude entender que isto é bastante frequente. Que as pessoas caem. Devido ao vento. O circuito de vela é apenas uma pequena parte do rio cercado por skyscrappers. Isso faz com que não existam slots de tráfego e que o vento mude muito. Deve-se estar sempre com muita atenção e pronto para se mover.
Outro hobby que eu tinha em Boston era coleccionar móveis. Não novos, é claro. Não era rica. Usados. Todas as quartas-feiras, as pessoas colocam nas ruas o que não querem mais naquele momento. Adorei essa ideia. Eu também tinha visto isso na Alemanha.

Em Boston, o meu quarto alugado tinha apenas uma pequena cama. Decidi começar a sua decoração sem dinheiro. Trouxe para casa muitas coisas. Algumas foram úteis, outras não, é claro. É mais a diversão de trazer coisas antigas para casa. Ser criativo.

Então, todas as quartas-feiras antes ou depois do trabalho, estava eu nas ruas à procura de coisas giras. Lembro-me de uma vez que o meu senhorio tirou o carro às 9 da noite para ir buscar comigo algumas coisas na zona.

Fi-lo até conduzir até à parte mais rica de Boston a sonhar que ia conseguir as melhores ofertas. Adivinhem? Já tinha ido tudo. As pessoas não são estúpidas.