De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Europa

Universidade Portucalense integra estudo europeu sobre problemática das migrações

Um projeto europeu dinamizado em França agregou 400 testemunhos de migrantes, entre eles 100 que rumaram a Lisboa e ao Porto, num estudo que do lado português teve a participação da Universidade Portucalense (UPT).

Denominado “Enciclopédia dos Migrantes”, o projeto desencadeado pela associação francesa L’Âge de la Tortue contou com a colaboração de quatro países e cinco universidades, relatou à agência Lusa o professor e investigador da Universidade Portucalense Vasco Soares, um dos coordenadores do projeto em Portugal.

Durante dois anos e meio e beneficiando de fundos comunitários, as universidades de Barcelona e Cádiz (Espanha), Porto, Gibraltar e Rennes (França) “recolheram testemunhos, sob a forma de cartas, de migrantes que tivessem deixado os seus países”, explicou Vasco Santos.

Dos 400 testemunhos reunidos agora numa enciclopédia, precisou o coordenador, “100 são de pessoas que viajaram para Portugal, 50 para o Porto e 50 para Lisboa”.

“O que lhes foi pedido foi que escrevessem cartas a familiares que estivessem no país de origem a contar-lhes o seu percurso e dificuldades”, detalhou Vasco Santos, dando conta de “casos de quem escreveu a familiares já falecidos” e de “algumas com um conteúdo muito forte”.

A enciclopédia está disponível para consulta nas Bibliotecas Municipais de Lisboa e Porto, assegurando Vasco Santos que “todas as cartas foram traduzidas para português”, juntando na mesma publicação “pessoas oriundas de África, Paquistão, Índia, Rússia, Ucrânia, Brasil, Venezuela, numa panóplia muito vasta de migrantes e que representam várias realidades”.

“Na prática, esta enciclopédia vai permitir desenvolver projetos de investigação em torno da parte sociológica que está inserida no documento. A ideia é que o trabalho comece a partir daqui”, referiu o investigador, acrescentando que a recolha reuniu “muita informação desde a problemática do emprego, integração e assistência na saúde” como problemas apontados pelos migrantes.

Foram também coordenadoras do projeto em Portugal a investigadora Belkis Oliveira, associada do REMIT – Centro de Investigação da UPT, e a professora Luísa Ferreira da Silva, como investigadora associada.

Colaboraram ainda com a UPT a ASI – Associação de Solidariedade Internacional (no Porto) e a Renovar a Mouraria, em Lisboa, além das câmaras do Porto e de Lisboa, através das suas bibliotecas municipais.