De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Comunidades

Um português de Münster que teve muita sorte

Patric teve mesmo muita sorte. Uma colega de trabalho dele foi ontem hospitalizada depois de Jens R., um cidadão de Münster, no Norte da Alemanha, ter arrastado com uma carrinha toda a esplanada onde o jovem lusodescendente de 23 anos e originário de Carrazeda de Ansiães serve às mesas, no coração do centro histórico, a escassos passos da icónica Catedral de S. Paulo. Eram 15.30 horas locais. Patric tinha desapertado o avental minutos antes, para o intervalo entre turnos, conta o Jornal de Notícias

“Podia ter sido uma das vítimas”, contou, ainda no local do drama. O atropelamento matou duas pessoas e feriu 30, seis delas gravemente. E trouxe à memória uma série de atentados contra os quais a forma de estar europeia continua a não estar preparada: um indivíduo tresloucado, seja com que razões for, desvia o volante do veículo que tem entre mãos, acelera e investe sobre uma multidão.

Jens R., nascido em 1969, tinha dois registos de problemas psiquiátricos, em 2014 e 2016, entre eles uma tentativa de suicídio. Com a tradicional cautela alemã, a Polícia pediu que se evitassem especulações nas redes sociais e que se esperasse pela versão oficial.

O ministro do Interior da região – a Renânia Norte-Vestfália -, Herbert Reul, trouxe-a, à noite, ao local: “Nada neste momento aponta que para que haja uma motivação islamita” e Jens R. “é um cidadão alemão, não um refugiado ou algo parecido”. Mas a zona permaneceu fechada, até a moradores, para análise ao carro. Os socorros foram imediatos, porque a cidade preparava-se para ser palco de uma manifestação pró-curda (a Alemanha tem uma significativa comunidade turca). E nada era dito de conclusivo sobre o objeto suspeito encontrado dentro dele. Ou sobre as buscas a casa do atacante.