De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Motores

Renault Grand Scénic: nova geração mais elegante

A Renault Scénic apareceu em 1996 e começou por se chamar Mégane Scénic. Aliava o conforto ao espaço para os passageiros e o espaço para arrumação, tinha um design moderno e atraente e um formato que ia de encontro ao que as famílias procuravam.

A Renault tinha previsto uma produção de 450 automóveis por dia, uma vez que achava que a Scénic era para um mercado algo “curto” relativamente ao que havia para a Renault Espace na época. As expectativas foram bastante superadas, uma vez que a Renault chegou a produzir 2500 Renault Mégane Scénic por dia. A primeira Renault Scénic contava com motor 1.4 e 1.6 a gasolina e um motor diesel 1.9.

Sofreu um restyling em 1999, tornando-se mais moderna e atraente, teve alterações ao nível do design que assumia na altura novas óticas, alterações ao nível do interior com novos estofos e volante com airbag e melhor visibilidade. Os farolins traseiros também tinham sido redesenhados e recebeu os novos motores de 16 válvulas. A produção do facelift da primeira Renault Scénic terminou em 2003.

A segunda geração da Scénic surgiu em 2003, após o lançamento do Renault Mégane II. Nesta segunda geração a Renault Scénic tinha também uma versão de sete lugares, com uma maior distância entre eixos e maior bagageira. Tal como acontece com o Mégane, a segunda geração da Scénic contava com um estilo mais moderno e dinâmico e ainda novas tecnologias, incluindo o imobilizador sem chave “Renault Card” e um travão de estacionamento automático; os acabamentos foram também melhorados face à primeira geração Scénic.

A grande novidade foi o painel de instrumentos digital. Em 2006 recebeu também um facelift que incluía, nova iluminação no interior, novas jantes, novas óticas e farolins.

A terceira geração da Renault Scénic de 5 e 7 lugares foi lançada em 2009, e foi comercializada até ao final de 2016, embora tenham sido ainda matriculadas algumas em 2017. Esta Renault Scénic contava já com sistema de navegação, as últimas tinham também serviços conectados, ar condicionado automático de dupla zona, assentos individuais, iluminação diurna LED, entre outros.

A última geração da Renault Grand Scénic não tem um legado fácil de defender, mas consegue-o na perfeição, uma vez que para além de todo o espaço a bordo e conforto, oferece também consumos de combustível verdadeiramente simpáticos e novas tecnologias para dar e vender.

O design da Renault Scénic está mais atraente, não se parece tanto com uma monovolume e adotou o aspeto de uma Espace mais pequena. Ao olhar para as gerações anteriores, percebemos que a nova Grand Scénic é conservadora no que toca ao formato, embora esteja mais elegante, bonita e dinâmica. A linha de cintura é alta, as rodas deixam pouco espaço de abertura às cavas e as proteções plásticas na carroçaria investem num estilo mais aventureiro e robusto, os pilares finos melhoram significativamente a visibilidade.

Ainda no exterior destacam-se as luzes de iluminação diurna LED em “C” que é a assinatura luminosa da Renault, carroçaria bi-tom como opção, jantes de 20 polegadas com dois tons, envolvidas em pneus de medida especifica do modelo 195/55 R20, faróis de nevoeiro, farolins LED, frisos cromados em torno dos vidros, junto aos faróis de nevoeiro e junto à embaladeira e um capô mergulhante e uma grelha aberta que acentua o design mais jovem. Destaque para as barras de tejadilho em alumínio e ao “badge” Hybrid Assist que informa que esta Renault Scénic conta com um pequeno motor elétrico.

No interior a tradição mantém-se: espaço para dar e vender, acessibilidade de excelência devido a uma abertura ampla das portas, 7 lugares, bons acabamentos e montagem, assim como muito espaço na bagageira de 718 litros de capacidade e 118 litros com os 7 lugares colocados.

A bordo viaja-se confortavelmente nos lugares dianteiros e traseiros, embora na 3ª fila de assentos dois adultos tenham alguma dificuldade em viajar, como é normal neste tipo de automóvel.

O equipamento desta versão oferece controlo por voz, retrovisores rebatíveis eletricamente, sistema de navegação e multimédia R-Link 2 que aparece num ecrã de 8,7 polegadas, cinco modos de condução, ar condicionado automático de dupla zona com saídas para os lugares traseiros, travão de estacionamento automático, painel de instrumentos em ecrã TFT, sistema de ajuda ao estacionamento dianteiro e traseiro com câmara de marcha-atrás, 5 iluminações ambiente, botão start da ignição e memória de vários perfis.

O sistema de navegação e multimédia R-Link 2 inclui um ano de serviços conectados que permitem descarregar aplicações na R-Link Store, ter informações do trânsito em tempo real, acesso ao e-mail, entre outros serviços. É também através deste sistema que se configura a climatização, modos de condução, ajustes do automóvel, trancas das portas, chave mãos-livres, iluminação ambiente e disposição do painel de instrumentos, configurações ao nível da multimédia e som. A Scénic dispõe de cinco modos de som provenientes do equipamento de som da Arkamys que tem também boa qualidade. O sistema é rápido, intuitivo, tem boa imagem, acesso ao Android Auto e Apple CarPlay.

O painel de instrumentos da Renault Scénic Hybrid Assist tem uma barra de aceleração e armazenamento de energia que nos ajuda a aproveitar a inércia do automóvel em benefício do consumo de combustível, a isto somamos um gráfico de uma folha que fica mais ou menos cheia consoante a aceleração para nos ajudar também a poupar combustível. Ainda no painel de instrumentos temos informações acerca da pressão dos pneus, dados de viagens e consumos, assim como bússola, informações dos sistemas de ajuda à condução, informações de navegação, entre outros.

A Renault Scénic propõe uma posição de condução que privilegia a visibilidade e facilidade na condução, é fácil gostar de estar ao volante deste monovolume e esquecer que estamos na realidade ao volante de um. A Renault Scénic tem uma pega de volante agradável, comandos “à mão de semear”, assim como configurações que agradam a todos os tipos de condutores. Quem privilegia uma posição de condução mais desportiva, não viaja nas alturas como é habitual neste tipo de automóveis: a configuração do assento em altura permite também uma postura mais descontraída e alta em relação ao trânsito.

No que toca ao comportamento em estrada, a Renault Scénic é exemplar, uma vez que tem uma direção direta q.b, uma suspensão condescendente que não é ineficiente e uma caixa de velocidades agradável na sua utilização, apesar de configurada em prol dos consumos que pode carecer de alguma habituação. A Renault Scénic, ajuda ainda a conduzir de forma económica e segura, uma vez que a probabilidade de ficarmos parados se tirarmos o pé do acelerador e colocarmos de imediato no travão é elevada. A travagem magnética provocada pelo sistema de travagem regenerativa é tal, que muitas das vezes não precisamos de travar para adequar a velocidade a determinadas situações em que a devemos reduzir, este sistema também requer alguma habituação, mas é sem duvida uma mais-valia no que toca aos consumos.

A Renault Grand Scénic Hybrid Assist tem cinco modos de condução e todos eles podem ser personalizados. Estes modos influenciam não só o comportamento do acelerador e direção como também alteram a iluminação ambiente, a climatização e o painel de instrumentos. Os modos são Comfort, Sport, Eco, Neutro e Perso.

O motor 1.5 dCi está, nesta versão, associado a um pequeno motor elétrico com 15cv de potência e a uma caixa manual de 6 velocidades, mas esta versão já não está disponível. Atualmente está à venda um motor 1.5 dCi de 110cv e 260Nm de binário, esta potência é enviada para as rodas dianteiras através de uma caixa automática EDC de dupla embraiagem com 7 velocidades, nesta motorização 1.5 dCi, a Renault Scénic só está disponível com caixa automática EDC. No que toca a prestações conseguimos uma aceleração dos 0 aos 100km/h em 12,4 segundos e uma velocidade máxima de 183km/h.

No que toca à segurança, a Renault Grand Scénic é um automóvel exemplar e está dotado de alguns sistemas que fazem a diferença, tais como o alerta de transposição involuntária de faixa com correção de volante, cruise-control adaptativo, sensor de proximidade, ajuda ao arranque em subida, travagem de emergência activa, luzes de máximos automáticas, sistema de ajuda ao estacionamento dianteiro e traseiro e retrovisor interior com escurecimento automático.

MAIS MOTORES EM CAR ZOOM