De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Mundo

Papa: canonização de Francisco e Jacinta é um sinal de atenção pelas crianças

O Papa Francisco disse domingo, no Vaticano, que a canonização dos pastores Francisco e Jacinta Marto, em Fátima, é um sinal de atenção por todas as crianças.

“Com a canonização de Francisco e Jacinta, quis propor a toda a Igreja o seu exemplo de adesão a Cristo e de testemunho evangélico. Também quis propor a toda a Igreja que tome conta das crianças”, realçou o papa, falando a milhares de peregrinos reunidos na Praça de São Pedro, para a recitação do “Regina Coeli”, um dia após ter concluído a peregrinação a Fátima, noticia a agência Ecclesia.

O papa Francisco presidiu no sábado, no Santuário de Fátima, à cerimónia de canonização dos pastores Jacinta e Francisco Marto, crianças que, com a sua prima Lúcia, afirmaram ter visto Nossa Senhora, na Cova da Iria, em 1917.

A agência espanhola Efe destaca também a mensagem do papa depois da viagem a Fátima, frisando que Francisco se deslocou como peregrino ao santuário português.

Nas palavras que proferiu hoje no Vaticano, o papa instou igualmente ao diálogo e à reconciliação para acabar com as guerras no mundo, “em particular no Médio Oriente”, onde muitas pessoas sofrem “trágicas violências” por questões de fé ou étnicas.

“Confio em Maria, rainha da paz, a sorte das populações atingidas pelas guerras e os conflitos, em particular no Médio Oriente”, disse o líder dos católicos a partir da varanda do Palácio Apostólico, depois de recitar “Regina Coeli”, que substitui o Angelus em tempo pascal.

O papa referiu que, na atualidade, “muitas pessoas inocentes sofrem duramente”, sejam cristãs, muçulmanas ou pertencentes a minorias como os yazidis, que “padecem trágicas violências e discriminações”.

“Incentivo as diferentes comunidades a recorrer à via do diálogo e da reconciliação para construir um futuro de respeito, de segurança e de paz”, instou o papa, que agradeceu a quem presta ajuda humanitária aos afetados pelos conflitos.

Numa altura em que em Itália e outros países se comemora o Dia da Mãe, o papa reclamou ainda das instituições “uma atenção concreta” para “a vida e a maternidade”.

“O futuro das nossas comunidades requer da parte de todos, especialmente das instituições, uma atenção concreta para a vida e a maternidade”, afirmou o pontífice.

O papa Francisco esteve na sexta-feira e sábado em Portugal, em visita ao Santuário de Fátima.

Além de presidir às cerimónias do Centenário das Aparições e de canonização dos pastores, no sábado, o papa, que chegou a Portugal na sexta-feira, à Base Aérea de Monte Real, no concelho de Leiria, teve encontros com o Presidente da República e o primeiro-ministro, participou na bênção das velas e almoçou com os bispos portugueses.

Nas intervenções que fez em Fátima, Francisco deixou apelos à paz e à concórdia e lembrou os excluídos da sociedade e todos os que sofrem em consequência dos conflitos em vários países do mundo.

Francisco foi o quarto papa a visitar Portugal. Antes tinham-se deslocado ao Santuário de Fátima Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991 e 2000) e Bento XVI (2010).