De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Motores

Miguel Oliveira faz entoar ‘A Portuguesa’ pela terceira vez

O piloto português Miguel Oliveira (KTM) fechou este domingo da melhor forma o Mundial de Moto2, ao conseguir, em Valência, o terceiro triunfo consecutivo, repetindo o final da temporada de 2015, então em Moto3.

“É surreal. Não tenho palavras para descrever estas últimas três corridas. Foi incrível para toda a equipa”, afirmou o piloto luso, acrescentando: “Estamos muito confiantes para a próxima época”.

Depois dos triunfos na Austrália e Valência, Miguel Oliveira também se impôs no Grande Prémio da Comunidade Valenciana, 18.ª e última prova do Mundial de velocidade, desta vez partindo do quarto lugar da grelha de partida.

O português chegou à primeira curva já no terceiro posto, mas era de novo quarto no final da primeira volta. Ocupou essa posição até à terceira volta, quando o italiano Mattia Pasini (Kalex) caiu.

Seis voltas depois, Miguel Oliveira subiu ao segundo posto, ao ultrapassar o espanhol Alex Marquéz (Kalex), iniciando, então, a perseguição ao líder, o italiano Franco Morbidelli (Kalex), que chegou a Valência já campeão mundial da categoria.

“Não foi fácil ultrapassar o Alex Marquéz e só quando vi o Morbidelli à minha frente é que percebi que ele não se estava a afastar. Então, mantive-me calmo e pensei que no final podia apanhá-lo. Continuei a forçar, mas não demasiado, pois não queria cometer nenhum erro”, contou o ‘44’.

O piloto da KTM foi-se aproximando e, quando chegou à ‘roda’ do transalpino, não perdeu tempo e ultrapassou-o, com mestria, na curva 3.

“Consegui apanhá-lo e, desta vez, não fiquei atrás dele, passei-o imediatamente e tentei ganhar alguma vantagem”, explicou Miguel Oliveira, que, desde que chegou à frente da corrida, nunca mais deixou Morbidelli aproximar-se, para vencer em 40.28,955 minutos.

Morbidelli terminou no segundo lugar, a 2,154 segundos do português, enquanto o alemão Brad Binder (KTM) fechou o pódio, a 4,181.

Na classificação do Mundial, Morbidelli totalizou 308 pontos, contra 243 do suíço Thomas Luhti (Kalex), segundo classificado, e 241 de Miguel Oliveira, que chegou a Valência já sabendo que fecharia o campeonato na terceira posição.

Além dos três triunfos, Miguel Oliveira conseguiu mais seis lugares no pódio em 2017, ao ser segundo na Argentina e Alemanha, e terceiro nos grandes prémios de Espanha, Catalunha, República Checa e Aragão.