De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Europa

Verona: Mata colega de trabalho à facada por causa de cigarro

© Direitos reservados

Na passada sexta-feira (ndr 1 de setembro) e após mais um dia de trabalho, sete operários portugueses de uma empresa da Tocha, Coimbra, a trabalhar em Verona, Itália, na montagem de um forno industrial, instalavam-se na pensão onde estavam alojados.

Enquanto uns tomavam banho, outros preparavam o jantar. Sérgio Lourenço, de 37 anos, pediu um cigarro a Joaquim Moio, de 58. Como a resposta foi negativa, deu-se uma discussão e os dois homens envolveram-se numa luta.
Joaquim Moio, natural de Ferreira-a-Nova mas residente em Regalheiras de Lavos, foi morto com um golpe de faca na zona da virilha, tendo sofrido um corte na artéria femoral e sangrou até à morte.

Os homens conhecer-se-iam há apenas duas semanas, segundo inforçações da polícia de Verona, que está a investigar o crime.
A discussão pelo cigarro foi ouvida por alguns dos outros cinco portugueses, “mas nenhum assume ter assistido ao crime”, afirma a mesma fonte.
Sérgio Lourenço foi detido pela polícia e declarou que a faca era da vítima, tendo a morte sido acidental, durante a luta entre os dois.
A procuradora encarregada do caso não ficou convencida e o homem está preso por homicídio voluntário.

Segundo informações de familiares da vítima, Joaquim Moio era casado e pai de três filhos já adultos, foi «durante anos» emigrante na Suíça, até que «veio definitivamente».