De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Portugal

MAI na sede da Proteção Civil para “ponto de situação nacional” sobre incêndios

A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, deslocou-se este sábado ao comando da Proteção Civil, em Carnaxide, para se “inteirar do ponto da situação dos incêndios a nível nacional”, disse à Lusa fonte oficial.

Fonte do Ministério da Administração Interna afirmou que a governante “chegou cerca das 19:30” à sede da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC) e que está “reunida na sala de situação” com o presidente da ANPC, Joaquim Leitão, e com o comandante nacional operacional da Proteção Civil, Rui Esteves.

De acordo com o portal ‘online’ da ANPC, pelas 20:30 de hoje, havia registo de 22 incêndios rurais em curso no país, mobilizando 2.255 bombeiros, apoiados por 629 veículos terrestres e 21 meios aéreos.

Em fase de resolução há também indicação de 16 incêndios rurais para onde estão destacados 834 homens, 274 carros de combate e dois meios aéreos e já em conclusão há registo de 52 incêndios que lavram em meios rurais, combatidos por 910 bombeiros com a ajuda de 261 veículos terrestres.

A Proteção Civil identifica também os casos mais importantes, destacando pela mesma hora nove “ocorrências importantes”, sendo o distrito de Coimbra aquele que mobiliza mais meios humanos.

Só neste distrito há três incêndios ativos, sendo o que mobiliza mais meios o do concelho de Cantanhede, com 319 bombeiros, 91 meios terrestres e quatro meios aéreos.

O fogo do concelho de Coimbra conta com 225 bombeiros, apoiados por 63 veículos terrestres e um meio aéreo e o incêndio do concelho de Montemor-o-Velho, ainda no distrito de Coimbra, estava a ser combatido por 72 homens e 19 viaturas.

O distrito de Santarém está também entre os mais afetados pelas chamas hoje, com dois incêndios rurais em curso (um no concelho de Tomar e outro no de Ferreira do Zêzere) e um em resolução (no concelho de Abrantes).

Aveiro tinha, pelas 20:30, um incêndio ativo, no concelho da Mealhada, que estava entre os que envolvia mais meios de combate: 276 bombeiros, 74 meios terrestres e um meio aéreo.

Os outros dois incêndios rurais considerados como “ocorrências relevantes” pela Proteção Civil lavravam no concelho de Cinfães, em Viseu, contando com 83 homens, 23 veículos e um meio aéreo, e no concelho de Vila Verde, em Braga, mobilizando 70 bombeiros, 19 viaturas e um meio aéreo.