De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Lifestyle

Lançado disco ao vivo de Salvador Sobral

O disco “Excuse Me Ao Vivo”, de Salvador Sobral, está disponível a partir desta sexta-feira, sendo revisitados temas do disco de estreia do músico, anunciou a editora Valentim de Carvalho.

De acordo com comunicado da editora, na base do disco está “a intensa digressão de ‘Excuse Me’ que viajou de norte a sul do país perante um público generoso que esgotou salas para escutar Salvador Sobral”.

O disco conta com nove temas, entre os quais “Ready For Love Again”, “Nem Eu” e “Nada Que Esperar”, antes de terminar com o ‘encore’ do concerto nos Jardins do Casino Estoril – o último concerto antes de anunciar a pausa na carreira musical – intitulado “Até Já”.

“Não falta no disco uma versão jazzística, das muitas que a banda experimentou, de ‘Amar Pelos Dois’ com a presença constante das vozes de sala cheia”, pode ler-se no comunicado que salienta a presença em palco dos músicos e amigos André Rosinha, Júlio Resende e Bruno Pedroso.

No final do mês passado, Salvador Sobral foi anunciado como um dos premiados dos European Border Breakers Awards (EBBA), uma distinção para “artistas emergentes” que, nos últimos meses, tiveram sucesso na Europa.

Salvador Sobral anunciou em setembro que iria fazer uma pausa na carreira, por motivos de saúde e por tempo indeterminado.

A vitória no festival Eurovisão da Canção, com uma canção escrita pela irmã, Luísa Sobral, deu uma maior visibilidade nacional e internacional a um músico que conta com vários anos de carreira.

Nascido em Lisboa, em 1989, Salvador Sobral participou em dois concursos televisivos de talento, na infância e na adolescência, estudou Psicologia, mas um Erasmus em Espanha fê-lo trocar essa via pela música.

No ano passado, editou o álbum de estreia, “Excuse me”, no qual cruzava referências de uma vida, do jazz de Chet Baker aos clássicos brasileiros de Dorival Caymmi.

Este ano, já depois de ter ganhado o festival Eurovisão, Salvador Sobral lançou o projeto Alexander Search, em parceria com o pianista Júlio Resende, em torno da poesia de um dos heterónimos de Fernando Pessoa.