De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Motores

DS 3 1.6 Cabrio: quem é que vai lá dentro?

O DS3 é um automóvel inerentemente bonito. Apesar da unidade ensaiada ter um ar mais “feminino”, não deixa os homens indiferentes à sua passagem. E não falo apenas daqueles que se aproximam para ver se a miúda que lá vai dentro é gira. Falharam! Ao volante neste fim-de-semana estava um tipo feio de barba!

A frente mergulhante adota as óticas full-led, uma grelha brilhante com o logo da marca no centro e uma moldura cromada em toda a volta. Mantiveram-se os leds na vertical do Citroen DS3 nos extremos do pára-choques dianteiro que adicionam algum preenchimento entre as óticas e os faróis de nevoeiro. O “lábio” do pára-choques tem um estilo mais desportivo.

Nas laterais encontramos uma carroçaria robusta que tira dimensão aos vidros, que são escurecidos na traseira. O DS3 adota puxadores cromados a contrastar com as jantes de 17 polegadas com dois tons. Ainda nas laterais contamos com um friso cromado junto à embaladeira que acentua o design “premium” da DS.

Se tivéssemos de escolher uma parte do DS3 seria a traseira rebelde: com farolins mais arredondados que se estendem timidamente até à lateral, duas saídas de escape e um difusor. A DS não poderia deixar de dar o “brilho” à traseira do modelo 3 descapotável. Foi por isso que colocou um friso cromado por cima da moldura da matrícula e outro por baixo do vidro da tampa da bagageira.

Podemos ainda optar pelos farolins traseiros “3D” que oferecem à noite um estilo inconfundível ao DS3.

A tampa da bagageira é também ela pouco convencional na sua forma de abrir, o que é esteticamente interessante, mas prejudica na hora de aceder ao que está no interior. Quando decidimos prescindir do tejadilho de lona ele fica elegantemente dobrado sobre o friso cromado. Se optarmos pelo conforto e insonorização do tejadilho, passamos a ter com um spoiler traseiro enquanto que a janela traseira é também um prolongamento do tecido da capota.

No que toca à capota existem duas opções de cores, ou preto ou a das fotografias que é apelidada de: “capota em trama DS com aros castanho topaze”. Esta capota tem boa qualidade, oferece uma excelente insonorização e conforto, e só está disponível em 6 cores de carroçaria. Sendo que a capota preta está disponivel em todas as 9 cores. A capota é recolhida com um botão, uma ação que pode ser efetuada em andamento.

O interior do DS3 é bastante harmonioso, acolhedor e cheio de pormenores. O volante podia ser ligeiramente mais pequeno, mas conta com uma boa pega e um desenho bastante desportivo, as aplicações em plástico são desnecessárias, mas têm algo que é bastante raro nos tempos que correm: o volante não tem botões! Os pedais são em alumínio e a maneta da caixa de velocidades tem uma boa pega, com um tacto bastante agradável.

O painel de instrumentos é bastante simples, oferece as informações principais como consumo de combustível, dados da viagem…

Na consola estão apenas os comandos do ar condicionado automático, volume do rádio, botão de acesso ao menu e botão de “SOS”. Infelizmente a informação do ar-condicionado não aparece iluminada à noite, quando o mesmo se encontra desligado, o que faz com que tenhamos de “procurar os botões”.

O sistema de navegação e multimédia aparece num ecrã de 7 polegadas, é bastante completo, funcional e conta com boa imagem. No sistema podemos contar com MirrorLink, aplicação “MyDS” que nos permite marcar revisões e aceder a dados sobre o automóvel, Apple CarPlay, sistema de emergência com localização entre outros serviços conectados.

Na versão ensaiada, a “Sport Chic”, há um “ambientador” de interior que é gerido através de um botão bastante estilizado no tabliê.

A posição de condução do DS3 é excelente, com um grande apoio lombar nos assentos em pele e alcantara, e como já referimos o volante e a caixa têm boa ergonomia. À frente viajamos à vontade, já nos lugares traseiros o caso muda de figura, o acesso não é o mais fácil como seria de esperar num automóvel de 2 portas. A bagageira conta com 245 litros de capacidade.

O interior tem um bom design e uma boa montagem, a qualidade dos materiais é bastante aceitável, mas não é “premium”.

É no comportamento que o DS3 é verdadeiramente impressionante. O chassi é muito equilibrado o que oferece ao utilitário francês um comportamento em curva digno de registo. A caixa é bem escalonada e tem um tacto bastante agradável, por sua vez a direção é comunicativa q.b e a travagem é também ela bastante boa.

O motor 1.6 Blue HDi debita 120cv de potência e 254Nm de binário o que permite ao DS3 uma aceleração dos 0 aos 100km/h em apenas 9,4 segundos e uma velocidade máxima de 190km/h. Este motor encontra-se sempre bastante disponível nos regimes baixos e médios, mas ao mesmo tempo é um motor comedido nos consumos de combustível. Faz com que o depósito de 45 litros seja mais do que suficiente uma vez que em percursos extra urbanos consegue médias a rondar os 4 litros e em percursos mistos consegue uma média de 4,8 litros.

Uma vez que o DS3 é um automóvel com cerca de 1200kg de peso, o motor 1.6 HDi consegue proporcionar-lhe andamentos vivos e entusiasmantes, com baixos consumos de combustível. A esta excelente característica juntamos o facto de ser um descapotável o que possibilita a diversão de cabelos ao vento e de forma económica.

Dados técnicos:

Modelo: DS3 Cabrio
Motor: 1.6 BlueHDi 120cv (Start&Stop)
Potência: 120cv às 3500 rpm.
Velocidade Máxima: 190 km/h
Aceleração 0 – 100 km/h: 9.4 sec
Capacidade depósito de combustível: 45 Litros
Lugares: 4
Espaço de Bagageira: 245 Litros
Posição do motor: Colocado na dianteira transversalmente
Cilindrada: 1560cc (4 cilindros em linha)
Binário: 254 Nm às 1750 rpm.
Tracção: Dianteira
Tipo de Caixa: Manual 6 velocidades
Travagem: Discos ventilados na dianteira / Discos traseiros
Direcção: Electrica
Emissões de C02: 94 g/km
Peso: 1217kg
Pneus: 205/45 R17
Jantes: 17 polegadas

MAIS CARROS EM CAR ZOOM