De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

De onde estou

Olho, de onde está

O meu corpo todo nu, vazio, carente

E vejo os meus pés no lodo

Ombros caídos, dormente…

 

E olhar para baixo,

Constatar o evidente

Que a vida anda para trás

Contracorrente,

Dá-me náuseas!

 

E bato com os pés com força,

E reparo aliviada que os pés estão sujos

Mas a cabeça está levantada.

E fito. Fito o horizonte,

E brilham-me os olhos renascidos,

Endireito-me, cresço,

Forte como a rocha.

E ali atrás do monte

É só céu e estrelas e madrugada!

 

A noite é linda olhando para cima,

Onde a lua habita sossegada,

E os sonhos sorriem-nos uma outra vez.

 

As guerras ficam mais fáceis de vencer,

Em comunhão com esse todo que nos abraça.

E o lodo torna-se rio que passa.

 

Patrícia Barata, 2018