De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Europa

Costa avisa que Europa só pode cumprir responsabilidades se tiver meios orçamentais

O primeiro-ministro defendeu esta sexta-feira que os cidadãos exigem da União Europeia um discurso de verdade e demarcou-se da corrente liberal, defendendo que a Europa só pode cumprir crescentes responsabilidades se possuir meios orçamentais compatíveis.

António Costa assumiu esta posição na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, numa conferência sobre o futuro da Europa, intitulada “Encontro com os cidadãos”, com a participação do Presidente da República de França, Emmanuel Macron, que começou com mais de meia hora de atraso.

Na sua intervenção inicial, com cerca de sete minutos, o líder do executivo nacional falou das “angústias” e “medos” manifestados por cidadãos europeus em relação a fenómenos como o terrorismo, a ameaça ao modelo social em consequência da globalização ou da digitalização.

Depois, António Costa deixou uma crítica à resposta preconizada pela corrente liberal, que tem colocado entraves à expansão de uma política orçamental europeia.

“A Europa não pode querer ter mais defesa, mais segurança interna e inovação com menos recursos. A resposta que temos a dar aos liberais é que, se queremos cumprir aquilo que prometemos aos europeus, temos de pôr no orçamento da Europa aquilo de que a Europa necessita”, defendeu o primeiro-ministro, antes de deixar um novo recado a alguns Estados-membros da zona euro.

“Não há moeda única sem capacidade orçamental comum”, sustentou António Costa, tendo ao seu lado o chefe de Estado francês.