De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Colunistas

Corpo Efémero

risco o chão com a minha marca efémera

mas assim que o faço, já não lá estou

entram-me fogos psicadélicos pelos poros adentro

e comandam-me a velocidade do sangue nas veias

que se contraem para que me agarre à vertigem

todos os átomos do meu corpo num frémito turbolento

todas as partículas do universo em alerta

para que o equilíbrio não seja rompido

mas este rompe-se a cada momento, a cada novo instante,

a cada novo mícron que desfaço com o meu passo hesitante.

 

JLC190503