De que está à procura ?

alemanha
Lisboa
Porto
Berlim, Alemanha
Lifestyle

Carminho em tournée europeia

A fadista Carminho realiza uma digressão europeia de apresentação do disco de homenagem a Tom Jobim, editado em dezembro, que encerra com concertos em Guimarães e Lisboa, nos quais participará a brasileira Marisa Monte.

De acordo com a promotora Everything is New, num comunicado hoje divulgado, a digressão “Carminho canta Tom Jobim” inicia-se a 06 de novembro na Áustria, em Viena, passando pela Suíça, em Zurique (a 08 de novembro), pela Alemanha, em Colónia (dia 09), em Hamburgo (dia 11) e em Bremen (a 12), por França, em Le Havre (a 13), Luxemburgo (a 14) e em Paris (a 15) e por Inglaterra, no London Jazz Festival, em Londres (a 17), antes de encerrar em Portugal.

O concerto em Lisboa está marcado para 30 de novembro no Meo Arena e o de Guimarães para 02 de dezembro no Pavilhão Multiusos daquela cidade. Estes dois concertos contarão com a participação especial da cantora brasileira Marisa Monte.

A promotora recorda que “demorou mais de um ano a tornar possível que o platinado ‘Carminho canta Tom Jobim’ se fizesse à estrada” e que tal foi possível, “depois de conciliar as datas da artista e da Banda Nova (a formação que acompanhou Tom Jobim ao vivo nos seus últimos dez anos, composta pelo filho e neto do criador da bossa nova, Paulo e Daniel Jobim, por Jaques Morelenbaum e Paulo Braga)”.

Carminho editou em dezembro do ano passado “Carminho canta Tom Jobim”, composto por 14 temas de Tom Jobim e que conta com as participações da atriz Fernanda Montenegro e dos cantores Maria Bethânia, Marisa Monte e Chico Buarque.

O disco, que partiu de um convite da família de Tom Jobim a Carminho, foi gravado nos estúdios cariocas da discográfica Biscoito Fino, com a Banda Nova.

A fadista portuguesa tinha já gravado um tema de Jobim, “Saudades do Brasil” (1969), uma criação de Amália Rodrigues.

Carminho, distinguida com os Prémios Amália Revelação e Melhor Fadista, estreou-se discograficamente a solo em 2009 com “Fado”, apesar de já ter cantado, quer na casa de fados da mãe, Taverna do Embuçado, em Lisboa, quer em alguns espetáculos, como a Gala Carlos Zel, no Casino Estoril, em 2008, e num espetáculo de homenagem ao poeta José Luís Gordo, na Vidigueira, no Baixo Alentejo, em 2005.

Em 2006, participou na gravação do CD “O terço cantado”, e tinha já gravado quatro fados, na Suíça, com a Tertúlia de Fado Tradicional. Em 2008, gravou “Gritava contra o silêncio”, excerto de um conto de Sophia de Mello Breyner Andresen, no primeiro disco de inéditos de João Gil.

Ao longo da sua carreira, a fadista tem gravado com artistas de outras áreas musicais, designadamente com os brasileiros Chico Buarque, Milton Nascimento, Marisa Monte, Ney Matogrosso, Nana Caymmi, e com o espanhol Pablo Alborán.

No Brasil, a intérprete tem tido um assinalável êxito com concertos esgotados no Rio de Janeiro e em S. Paulo. Foi tema de capa do jornal O Globo, e o músico Caetano Veloso, que escreveu para si “O sol, eu e tu”, referiu-se à fadista como um “suave milagre”.