De que está à procura ?

alemanha
Lisboa
Porto
Berlim, Alemanha
Desporto

Braga vence e garante ’16 avos’ da Liga Europa

Cruzamento atrasado de João Carlos Teixeira encontrou Marcelo Goiano à entrada da área. © Ricardo Silva / BOM DIA

O Sporting de Braga venceu esta quinta-feira o Hoffenheim 3-1 e apurou-se para os 16 avos de final da Liga Europa de futebol, num jogo emotivo e em que a famosa eficácia germânica ‘transferiu-se’ para a equipa portuguesa.

Os ‘arsenalistas’ adiantaram-se logo no primeiro minuto através de Marcelo Goiano, permitiram o empate aos 74, por Uth, mas Fransérgio, com um ‘bis’ aos 81 e 90+3, garantiu a vitória para a sua equipa.

A equipa de Abel Ferreira vai para o último jogo do grupo C da Liga Europa, na Turquia, diante do Basaksehir, já apurada, enquanto o Hoffenheim, um dos principais candidatos, fica de fora da competição.

A turma alemã orientada pelo jovem Julian Nagelsmann (30 anos apenas) teve muito mais posse de bola, empurrou o Braga para o seu último reduto e dispôs de algumas oportunidades para marcar, mas foi incapaz de fazer mais do que um golo.

O Sporting de Braga não podia desejar melhor entrada em jogo, com João Carlos Teixeira, de volta ao ‘onze’, a internar-se pela esquerda, a defesa alemã ainda cortou o cruzamento, mas não conseguiu impedir o pontapé de ressaca do ‘capitão’ bracarense Marcelo Goiano à entrada da área.

Aos 10 minutos, o mesmo João Carlos Teixeira teve um grande lance: galgou dezenas de metros com a bola até ganhar espaço na zona central, mas o remate saiu à figura do guardião alemão.

Ricardo Silva / BOM DIA

Num lance rápido, Ricardo Esgaio entregou a Fransérgio que repõs a vantagem bracarense         @ Ricardo Silva / BOM DIA

Assistiu-se depois à forte reação do Hoffenheim, instalando-se autenticamente no meio-campo bracarense e colocando, várias vezes, cinco e seis homens dentro da área minhota, mas sem consequências práticas.

O treinador alemão mexeu na equipa logo ao intervalo e esgotou as substituições aos 66 minutos, mas a toada do jogo manteve-se, com o Hoffenheim a ter a iniciativa, com muitos homens a atacar e a criar ocasiões claras de golo, mas também pouco discernimento no momento decisivo.

Gnabry, um dos que entrou, desperdiçou duas soberanas situações (53 e 64) e, pelo meio, foi Amiri, na cara de Matheus, a não conseguir ultrapassar o guardião brasileiro que foi rápido a sair e tapou bem a sua baliza (59).

Abel Ferreira refrescou o ataque, apostando em Dyego Sousa para o lugar do esgotado Paulinho, mas foi outra das apostas de Nagelsmann a marcar: livre da esquerda de Demirbay e entrada de rompante de Mark Uth (74), recolocando justiça no marcador.

Com o jogo ‘partido’ e com Fábio Martins no lugar do ora desequilibrador, ora complicativo João Carlos Teixeira, o Braga voltou à vantagem sete minutos depois com Fransérgio a concluir, qual ponta de lança, uma bela jogada que teve início em Dyego Sousa e que Esgaio deu seguimento com um cruzamento de primeira (81).

Fransérgio ainda fez o terceiro, com um remate de muito longe, aproveitando a baliza deserta após um mau passe do guarda-redes alemão (90+3), merecendo ainda nota o desnorte de alguns jogadores do Hoffenheim na parte final, tendo mesmo Adam Szalai sido expulso após agressão a Ricardo Ferreira.