De que está à procura ?

alemanha
Lisboa
Porto
Berlim, Alemanha
Portugal

António Costa destaca evolução do tipo de investimento alemão em Portugal

O primeiro-Ministro, António Costa, sublinhou esta quarta-feira, em Braga, a mudança do tipo de investimento alemão em Portugal registada nos últimos anos, com uma crescente aposta na tecnologia e no conhecimento.

Falando na inauguração do Centro de Tecnologia e Desenvolvimento da Bosch, que contou com presença da chanceler alemã, Angela Merkel, António Costa destacou ainda que a Alemanha é “desde há muitos anos o primeiro investidor produtivo em Portugal”.

“Nos últimos anos, temos assistido a uma transferência importante do tipo de investimento que as empresas alemãs têm vindo a fazer em Portugal”, referiu o primeiro-Ministro.

Como exemplo, apontou o Centro de Tecnologia e Desenvolvimento da Bosch, hoje inaugurado em Braga.

“Aqui onde estamos, há 20 anos, a Blaupunkt produzia rádios. Hoje deixámos de produzir rádios e passámos a produzir conhecimento”, disse.

Costa destacou ainda o facto de a Bosch ser parceira em dois “projetos fundamentais” (Laboratórios Colaborativos e Clube dos Fornecedores) no âmbito do Programa Interface, que classificou como “o mais importante do Programa Nacional de Reformas”.

Um programa que visa transferir conhecimento e tecnologia das universidades, politécnicos e centros de saber para o tecido económico.

“Se queremos ser competitivos no futuro, é com base na inovação e no conhecimento”, enfatizou António Costa.

Disse ainda que a Bosch é um “excelente exemplo” daquilo que é o espírito europeu.

“O espírito europeu não é só juntar países à volta de uma mesa do Conselho para tomarmos decisões. É muito mais que isso. É a capacidade de juntarmos os recursos, o saber, capacidade de fazermos em conjunto”, referiu.

Só dessa forma, rematou, é que será possível “construir uma Europa que possa defender o seu modelo social, o seu standard de vida, os seus standards ambientais e o seu modo de viver neste mundo globalizado que é tão desafiante para a Europa”.