De que está à procura ?

Lisboa
Porto
Faro
Motores

Abarth 595 Competizione: chamar a atenção

Não tem de ser necessariamente amarelo para dar nas vistas; o Abarth 595 Competizione é uma verdadeira chamada de atenção, não só por ser um “Fiat 500 fofinho” que as meninas adoram, mas por ser um “500” diferente dos que vemos todos os dias. Este 595 Competizione faz questão de demonstrar que tem sangue na guelra e que não é apenas um Fiat para meninas.

Na frente encontramos um para-choques desportivo, com entradas de ar generosas e mais próximo do solo, as jantes são de 17 polegadas envolvidas em pneus 205/45 e as saias laterais fazem-se sobressair. Na traseira um spoiler, saídas de ar e um difusor que alberga quatro saídas de escape Record Monza, que produzem uma nota capaz de fazer “verter águas”. Por toda a carroçaria se nota a presença dos “badges” Abarth 595. As riscas pretas Abarth nas laterais são opcionais.

Este artigo poderia ser baseado em preços, números, listas de opções, espaço de bagageira, espaço a bordo, qualidade dos materiais, entre outras coisas aborrecidas, que nada combinariam com tamanha diversão. Por isso, vamo-nos deixar de extras, preços e números e vamos ao que realmente interessa: a experiência de condução, as sensações e a felicidade que o Abarth 595 proporciona.

Sentar-se dentro do Abarth 595 Competizione é ser abraçado pelas baquets da Sabelt, como uma mãe abraça um filho. A caixa de velocidades está mesmo à mão de semear e o volante tem a pega perfeita. A posição de condução característica deste modelo, não deixa desanimar, até porque com o rodar da chave no canhão da ignição, um pequeno “sismo” surge, acordando tudo à sua volta, despertando os olhares mais curiosos.

Enquanto esta panóplia de situações surge, existe um turbilhão de emoções que lembra o porquê destes “escorpiões envenenados” vindos diretamente do país em forma de bota.

No modo “Normal” circulamos pouco civilizados e a dar nas vistas: basta parar num semáforo, para que o ruído do escape Record Monza coloque alguns condutores a olhar pelo retrovisor, ou até mesmo a baixar os vidros.

É no modo “Sport” que tudo se torna mais engraçado. O manómetro da pressão do turbo atinge quase os 2 bar e nas transições de caixa surgem pequenos rateres que quase rebentam os tímpanos, enquanto os pelos dos braços se arrepiam e o ritmo cardíaco aumenta, causando doses avultadas de histeria quase incontrolável.

Esmagando o pedal do acelerador a fundo recebe-se um agradável pontapé nas costas, que faz lembrar alguns desportivos mais potentes. Não esquecer, que para todos os efeitos, este Abarth 595 tem como base um automóvel citadino. Quando pensamos que tem 180cv, lembramo-nos de quão louca pode ser a mente italiana: é possível que não haja povo nenhum no mundo mais apaixonado por automóveis!

Estes são os automóveis irracionais que nos fazem adorar este mundo e querer viver cada dia mais, para estes sorrisos ao volante, desejando que sejam eternos.

Debaixo do pequeno capô está um motor que expressa o espírito aventureiro, apaixonante e louco dos italianos. Só eles seriam suficientemente “malucos” para colocarem um motor com 180cv num citadino e só eles seriam suficientemente loucos, para extrair esses 180cv de potência de um motor 1.4 litros… Agora podem tecer comentários a dizer que avaria, que dá problemas, que tem uma fiabilidade terrível… Sou obrigado a questionar: “alguma vez viram um carro de corridas que não parasse nas boxes? Eu não!”

O Abarth 595 Competizione é isso mesmo: um automóvel de corrida para a estrada, que deve ser conduzido por homens de barba rija e com respeito. Não é qualquer pessoa que o pilota sem recear as suas dimensões reduzidas que o tornam algo exigente e distinto dos outros automóveis. Tem 250Nm de binário uma aceleração dos 0 aos 100km/h em 6,7 segundos e atinge uma velocidade máxima de 225km/h. Podemos dizer que dificilmente sentiremos a traseira nas curvas em velocidades mais elevadas, apesar de se segurar muito bem para um citadino.

O chassi do Abarth 595 é bom, tendo em conta a curta distância entre eixos. É quase inacreditável pensar que um automóvel com estas características seja capaz de curvar assim. Mas podemos explicar-vos alguns dos “segredos” escondidos pela carroçaria, falamos de umas suspensões Koni realmente firmes que o fazem agarrar-se à estrada como lapa e o sistema “TTC” (Torque Transfer Control) que transfere a potência de uma roda para a outra e consoante a perda de aderência poderá ainda ir aplicando “travagem” na roda que se encontra em “perda”.

No que toca aos travões contamos com estribos Brembo com quatro êmbolos, discos ventilados e perfurados na dianteira e discos também no eixo traseiro, o que se traduz numa eficiência quase imperturbável, que suporta aquecimento e se mostra algo resistente à fadiga.

Poderíamos falar dos consumos, mas só nos preocupamos em ir abastecer. Com o Abarth 595 Competizione precisamos sempre de ir a algum lado… Os não fumadores tem de ir comprar tabaco, temos de ir ao trabalho a um domingo e por incrível que pareça está sempre um transito horrível que nos obriga a optar pelo caminho mais longo e mais sinuoso.

MAIS CARROS EM CAR ZOOM